SP e Rio decidem manter uso obrigatório das máscaras em locais fechados

Flexibilização nas medidas de proteção contra o novo coronavírus preocupa gestores públicos. Nos últimos dias, a prefeitura de São Paulo e do Rio de Janeiro informaram que vem avaliando manter a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados. A medida objetiva reduzir os índices de contágio da doença.

Há algumas semanas, o Brasil começa a demonstrar indicativos positivos com relação a pandemia do novo coronavírus. O número de infectados e óbitos vem caindo, de modo que permita que prefeituras flexibilizem as medidas de segurança.

Rio de Janeiro mantem uso de máscaras

Nessa semana, em transmissão feita pela internet, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que a cidade deverá atingir a terceira fase de imunização ainda nessa semana. Com isso, espera-se que sejam flexibilizadas as ações de proteção.

“Acredito que até o fim desta semana, até sábado (13), a gente deva atingir a meta da terceira fase do comitê cientifico, em que se alcança 75% da população total vacinada. Estamos em 70% de imunização com duas doses.”

O gestor informou então que está estudando a possibilidade de não tornar o uso de máscaras mais obrigatório. Segundo ele, a medida poderá retroceder os índices de contaminação.

Tem uma serie de gatilhos previstos pelo Comitê Científico. Entre elas, o fim da obrigação de utilização de máscaras em locais fechados. Eu ainda não sei se vou acompanhar o comitê cientifico. Apesar do comitê estar mandando, provavelmente a gente vai permanecer com a obrigatoriedade de utilização de máscara em espaço fechado”, afirmou o prefeito.

Uso de máscaras em São Paulo é mantido

Em São Paulo, a prefeitura também optou por manter a obrigatoriedade. De acordo com o secretário de Saúde, Edson Aparecido, a ação é necessária pelo menos até dezembro para que não voltem a crescer os números de doentes.

“De qualquer maneira, as medidas farmacológicas são importantes, se possível as pessoas não se aglomerarem tem um papel importante. Por enquanto não, nós vamos aguardar o desenrolar dos indicadores que vão chegar até o início de dezembro para aí eventualmente ou não, dar algum indicativo de medida sanitária para a população”, disse.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.