Por que famílias pobres sofrem mais com impactos da inflação?

A alta na inflação é um dos principais vilões para a renda familiar, sendo causada pela crise mundial gerada pela pandemia de Covid-19 e seus impactos na produção e venda. Porém, mesmo atingindo a todos, as altas são mais sentidas pelas famílias mais pobres.

De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação no mês de outubro aumentou em 1,25%. “Foi a maior variação para um mês de outubro desde 2002 (1,31%)”, destacou o IBGE.

Com esse último resultado, a inflação acumulou alta de 8,24% no ano e de 10,67% nos últimos 12 meses. Diante disso, esse é o maior índice em um ano já registrado desde janeiro de 2016 quando foi pontuado 10,71%.

Os principais vilões da inflação em outubro foram a gasolina, a passagem aérea, o tomate, a energia elétrica e o automóvel 0 Km, declarou o IBGE. A gasolina, por exemplo, subiu pelo sexto mês consecutivo, tendo uma alta de 3,10% no mês de outubro.

Esse foi o maior impacto individual na inflação do mês passado, correspondendo a 0,19% da alta do IPCA. A gasolina já acumula 38,29% de aumento durante o ano e 42,72% nos últimos 12 meses.

Esse item interfere diretamente nas despesas familiares comprometendo boa parte da renda mensal. Para piorar o gás de cozinha teve a 17ª alta consecutiva, acumulando um aumento de 37,86% em 12 meses. Veja abaixo o resultado de cada grupo no mês de outubro:

  • Transportes: 2,62%;
  • Vestuário: 1,80%;
  • Artigos de residência: 1,27%;
  • Alimentação e bebidas: 1,17%;
  • Habitação: 1,04%;
  • Despesas pessoais: 0,75%;
  • Comunicação: 0,54%;
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,39%;
  • Educação: 0,06%.

A cesta básica no mês de outubro ficou, em média, por R$ 582,43, segundo a pesquisa divulgada Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Considerando o atual salário mínimo de R$ 1.100, a renda familiar fica comprometida em amis de 53%.

O preço da cesta teve uma variação de R$ 464,17 (Aracaju) a R$ 700,69 (Florianópolis). Diante disso, o comprometimento da renda familiar varia muito de região para região. Porém, as famílias mais pobres é que sentem o maior impacto.

Diante disso, o Dieese considerada que para arcar com as despesas de uma família composta por quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças, seria necessário ter uma renda de R$ 5.886,50. Esse valor corresponde às despesas com comida, transporte, saúde, educação, vestuário, lazer e aluguel.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.