Auxílio emergencial acabou! A partir de agora como lidar com a crise?

Pontos-chave
  • Auxílio emergencial é cancelado e população busca por plano B;
  • Inscrição no Cadastro Único garante demais benefícios sociais;
  • População deve fazer solicitação em um centro de assistência social.

Governo anuncia última chamada de saque do auxílio emergencial. Nos próximos dias, a população terá direito de fazer a retirada da sétima parcela do projeto. Na sequência, o futuro social do país parece incerto mediante as dificuldades de implementação do Auxílio Brasil. Abaixo, saiba como você pode manter um abono mínimo.

Auxílio emergencial acabou! A partir de agora como lidar com a crise? (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
Auxílio emergencial acabou! A partir de agora como lidar com a crise? (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

Durante meses o auxílio emergencial foi responsável por garantir a sobrevivência de mais de 30 milhões de brasileiros. O programa operou desde abril de 2020 como uma medida de contenção a crise econômica do novo coronavírus. Agora, com a situação financeira do país ainda mais em alerta seu funcionamento foi encerrado.

Sétima parcela do auxílio emergencial 2021: calendário de saque para público geral

Quem ainda não retirou a quantia referente a sétima rodada poderá contar com uma ajuda de custo neste fim de ano. Mediante o calendário abaixo o governo vem fazendo as chamadas para saques.

  • Nascidos em janeiro – 1º de novembro
  • Nascidos em fevereiro – 3 de novembro
  • Nascidos em março – 4 de novembro
  • Nascidos em abril – 5 de novembro
  • Nascidos em maio – 9 de novembro
  • Nascidos em junho – 10 de novembro
  • Nascidos em julho – 11 de novembro
  • Nascidos em agosto – 12 de novembro
  • Nascidos em setembro – 16 de novembro
  • Nascidos em outubro – 17 de novembro
  • Nascidos em novembro – 18 de novembro
  • Nascidos em dezembro – 19 de novembro

Meu Auxílio Emergencial acabou, o que devo fazer?

Inicialmente, o governo federal tinha prometido que os segurados do auxílio emergencial passariam a ser contemplados com o auxílio Brasil. No entanto, a folha orçamentária do novo projeto não tem verba o suficiente para garantir a inclusão de todo o grupo.

Desse modo, recomenda-se para a população o registro no Cadastro Único. A plataforma funciona como uma porta de entrada nos diversos projetos sociais do país, inclusive o Auxílio Brasil.

Uma vez inscrito nela, o cidadão passa a ter o direito de se candidatar para a contemplação das seguintes políticas públicas:

  • Água para todos
  • Aposentadoria para Pessoas de Baixa Renda
  • Programa Brasil Alfabetizado
  • Auxílio Emergencial
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC)
  • Bolsa Estiagem
  • Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti)
  • Bolsa Família
  • Bolsa Verde (Programa de Apoio à Conservação Ambiental)
  • Carta Social
  • Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais
  • Carteira do Idoso
  • Casa Verde e Amarela
  • Crédito Instalação
  • ENEM
  • Programa Nacional de Crédito Fundiário
  • Identidade Jovem (ID Jovem)
  • Isenção de Pagamento de Taxa de Inscrição em Concursos Públicos
  • Programa Nacional de Reforma Agrária
  • Rural
  • Serviços Assistenciais
  • Programas Cisternas
  • Tarifa Social de Energia Elétrica
  • Telefone Popular

Quem pode se inscrever no Cadastro Único

  • Somando o salário de todas as pessoas da família e dividindo pelo número de membros da família, o valor for de até R$ 522,50 (metade do salário mínimo) por mês; OU
  • A soma dos salários de todas as pessoas da família for de até R$ 3.135,00 (três vezes o salário mínimo); OU
  • Estiverem em situação de rua, seja uma pessoa sozinha em situação de rua ou uma família em situação de rua; OU
  • Pode ser que você não esteja em nenhuma dessas situações, mas precise fazer seu cadastro para receber um serviço que exija isso. Se esse for seu caso, poderá se cadastrar também.

Como se inscrever no cadastro único?

Para se vincular é preciso ter ao menos 16 anos e ir até um centro de assistência social. O titular responsável pela família deverá entregar os seguintes documentos para análise:

  • CPF; ou
  • Título de Eleitor; ou
  • Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI); ou
  • Outros documentos de identificação, como Certidão de Casamento, Carteira de Identidade (RG) e Carteira de Trabalho.
  • Comprovante de residência.

Uma vez em que for feita a solicitação, basta aguardar para a análise de validação do registro. Sendo aprovado, o cidadão pode entrar em contato com a gerencia dos programas sociais de seu município ou pelas plataformas federais para exigir sua entrada nas folhas de pagamento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.