Por que o auxílio emergencial foi negado? Motivos do entrave são revelados

Segurados do auxílio emergencial podem ter benefício negado na próxima rodada. A partir do dia 17, a Caixa Econômica Federal passará a fazer o pagamento da sexta parcela. No entanto, a população deve ficar atenta pois haverá um novo período de fiscalização. O cidadão que estiver fora dos critérios impostos pelo governo terá o abono cancelado.

Por que o auxílio emergencial foi negado? Motivos do entrave são revelados (Imagem: Ministério da Cidadania)
Por que o auxílio emergencial foi negado? Motivos do entrave são revelados (Imagem: Ministério da Cidadania)

O auxílio emergencial está próximo de ser encerrado, mas ainda assim pode gerar dor de cabeça para seus beneficiários. A sexta parcela passará a ser ofertada ao longo dos próximos dias, mas nem todos os inscritos deverão ser contemplados.

De acordo com os informes do Ministério da Cidadania, a Dataprev passará um novo pente fino na folha orçamentária do projeto.

Motivos que te excluem do auxílio emergencial

De modo geral, o cidadão deve ficar atento a atualização de sua documentação e manter seu registro no Cadastro Único em dia. Qualquer modificação, como o endereço ou número de celular, se não for sinalizada para o governo, pode resultar na suspensão por incompatibilidade dos dados.

Pelas regras anunciadas pelo governo federal, o benefício será cancelado a partir dos seguintes critérios:

  • Ter vínculo de emprego formal ativo;
  • Receber benefício previdenciário,
  • Receber benefício assistencial;
  • Receber seguro-desemprego;
  • Residir no exterior;
  • Receber o bem (programa emergencial de manutenção do emprego);
  • Ter menos de dezoito anos de idade, exceto no caso de mães adolescentes;
  • Possuir registro de óbito nas bases de dados do governo federal;
  • Ter seu CPF inoculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte;
  • Ter renda familiar mensal per capita acima de meio salário-mínimo;
  • Ser membro de família que tenha renda mensal total acima de três salários mínimos;
  • Ter recebido no ano de 2019, rendimentos tributáveis acima de r$ 28.559,70;
  • Estar com o auxílio emergencial ou auxílio emergencial residual de 2020, cancelados no momento da avaliação da elegibilidade para o auxílio emergencial 2021;
  • Estar preso em regime fechado ou tenha seu número no cpf vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão;
  • Ser estagiário ou beneficiário de bolsa de estudos concedidas por órgão público municipal, estadual, distrital ou federal;
  • Não tenha movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial.

Calendário da sexta parcela para público geral

  • Nascidos em janeiro – 21 de setembro
  • Nascidos em fevereiro – 22 de setembro
  • Nascidos em março – 23 de setembro
  • Nascidos em abril – 24 de setembro
  • Nascidos em maio – 25 de setembro
  • Nascidos em junho – 26 de setembro
  • Nascidos em julho – 28 de setembro
  • Nascidos em agosto – 29 de setembro
  • Nascidos em setembro – 30 de setembro
  • Nascidos em outubro – 1º de outubro
  • Nascidos em novembro – 2 de outubro
  • Nascidos em dezembro – 3 de outubro

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 4.5
Total de Votos: 2

Por que o auxílio emergencial foi negado? Motivos do entrave são revelados

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA