São Paulo confirma interesse em aplicar 4ª dose da vacina da COVID-19

O Governo de São Paulo tem interesse na aplicação de uma 4ª dose da vacina da COVID-19 em pacientes transplantados. Esse é um grupo que não responde de forma adequada aos imunizantes.

São Paulo confirma interesse em aplicar 4ª dose da vacina da COVID-19
São Paulo confirma interesse em aplicar 4ª dose da vacina da COVID-19. (Imagem: Agência O Globo)

O integrante do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, superintendente do Hospital do Rim, José Medina, explica que a resposta imune de transplantados é mais baixa em relação a todas as vacinas aplicadas no país.

Segundo a diretora do Hospital das Clínicas, Eloísa Bonfá, uma das prováveis causas para a baixa resposta imune seja os medicamentos tomados por aqueles indivíduos que recebem transplantes.

Em conformidade com Medina, os transplantados vacinados com a segunda dose da vacina da COVID-19 tiveram uma resposta imune baixa. Assim, a proposta é aplicar uma quarta dose, ou até mesmo uma quinta dose.

Medina explica que no estudo realizado com 12 mil pacientes transplantados, 21% tiveram COVID-19. Desses pacientes transplantados, um em cada quatro contaminados pelo coronavírus veio a óbito por consequências da doença.

A comparação feita pelo estudo, entre funcionários do Hospital do Rim e transplantados, mostra a diferença na formação de anticorpos. Depois da primeira dose da vacina da COVID-19 CoronaVac, a soroconversão foi de 79% nos funcionários e 15% nos transplantados.

Por esse motivo, esclarece Medina, começou o estudo para verificar a resposta imune de transplantados depois de receber a terceira dose da CoronaVac. E o resultado foi um aumento de 15% para 53% de resposta nos pacientes.

São Paulo, contrariando o Governo Federal, está aplicando como reforço a CoronaVac para os idosos e pacientes imunossuprimidos. Conforme o Governo Federal, apenas vacinas como a Pfizer devem ser usadas como segunda dose.

A justificativa do Governo Federal, para o uso de outras vacinas na aplicação da segunda dose, é a baixa resposta imune da CoronaVac para os idosos e pacientes imunossuprimidos. Especialistas, pelo mesmo motivo, criticam o governo de São Paulo pelo uso da CoronaVac.

Enquanto isso, na última segunda-feira (6), São Paulo iniciou a aplicação da terceira dose da vacina da COVID-19. De acordo com o governo paulista, a vacinação iniciará com as pessoas com mais de 90 anos. Logo no primeiro dia, aproximadamente 99% das doses foram de CoronaVac.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.