Conta de luz pode ter novo reajuste puxada por períodos de seca

Atualmente, a conta de luz está com a bandeira vermelha – patamar 2, devido a crise híbrida. Porém, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o preço ainda deve ficar mais cara no próximo ano.

Conta de luz pode ter novo reajuste puxada por períodos de seca
Conta de luz pode ter novo reajuste puxada por períodos de seca (Imagem: Eletron Energia)

A Aneel informou que em 2022 a conta de luz irá aumentar até 16,68%. Essa projeção foi feita pelo superintendente de Gestão Tarifária da agência, Davi Antunes Lima, durante audiência pública da Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados.

A causa que levará a esse aumento será a crise hídrica enfrentada pelas hidrelétricas, devido à pior estiagem dos últimos 91 anos. Sendo assim, será necessário ativar as usinas termoelétricas.

Além disso, o aumento do consumo de luz, com a retomada das atividades econômicas, contribui para a crise. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em o consumo de energia no Brasil cresceu 12,5% em junho, em relação ao mesmo período de 2020.

Diante do atual cenário e da projeção nada animadora, a Aneel começou a estudar algumas medidas para amenizar os impactos financeiros aos consumidores. Segundo a agência, caso seja possível realizar essas ações, o aumento será de 10,73% em 2022.

Atualmente, a bandeira vermelha – patamar 2 está custando R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos. Esse valor foi resultado do reajuste de 52% feito pela Aneel. Em justificativa, a diretora da empresa, Elisa Bastos, afirmou que o reajuste é para bancar as medidas realizadas para gerar energia.

Exemplo disso é a geração térmica e a importação de energia de países vizinhos. É esperado que o reajuste faça os consumidores adotarem medidas de economia em casa, assim como as empresas e estabelecimentos comerciais.

Com isso, a esperança para controlar a crise híbrida é a mudança de atitude do povo brasileiro e a chegada do período de chuvas. No Brasil o período de chuvas começa entre fim de setembro e início de outubro.

O aumento na conta de luz no mês de julho contribuiu para a alta de 0,96% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Esse índice é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apenas a conta de luz correspondeu a 0,35% da taxa de julho, sendo o maior impacto individual no IPCA.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Conta de luz pode ter novo reajuste puxada por períodos de seca

Glaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA