Três benefícios sociais criados para os vulneráveis durante crise da COVID-19

Pontos-chave
  • O país vive uma crise econômica que atinge, principalmente, as famílias mais vulneráveis;
  • Nesse contexto, Estados e municípios têm criado benefícios sociais;
  • Boa parte dos Estados ao auxílio merenda já que as aulas presenciais passaram a ser remotas ou híbridas.

A pandemia de Covid-19 já atinge o Brasil há mais de um ano. Diante disso, o país vive uma crise econômica que atinge, principalmente, as famílias mais vulneráveis. Nesse contexto, Estados e municípios têm criado benefícios sociais, com o intuito de ajudar a população mais carente.

Três benefícios sociais criados para os vulneráveis durante crise da COVID-19
Três benefícios sociais criados para os vulneráveis durante crise da COVID-19 (Imagem: Pedro Ribas/SMCS)

A crise econômica e o desemprego têm atingido muitas famílias e gerado dificuldades para atender as necessidades básicas. Nesse cenário, a quantidade de benefícios sociais foi ampliada desde a chegada da Covid-19 no Brasil.

O Governo Federal começou a pagar em abril de 2020 as parcelas do auxílio emergencial no valor de R$ 600. Na época, a estimativa era de três pagamentos. Porém, com o avanço da doença o pagamento foi estendido até o fim do ano.

Foram ao todo nove parcelas, sendo cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300. Os pagamentos chegaram ao fim em dezembro de 2020. Porém, após muitos pedidos dos parlamentares e com o enfrentamento da 2ª onda da pandemia o governo decidiu fazer mais uma rodada de pagamentos.

O novo auxílio emergencial teria quatro parcelas de valor variável, conforme a composição familiar. Dessa maneira, as pessoas contempladas que moram sozinhas estão recebendo R$ 150.

As famílias compostas por dois ou mais membros recebem R$ 250, sendo essa a média paga no programa. Por fim, as mães chefes de família monoparentais recebem o maior valor, de R$ 375. As parcelas não são cumulativas e, portanto, apenas um membro pode receber.

Porém, na semana passada, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o pagamento do auxílio emergencial 2021 será estendido por dois ou três meses.

A ideia é que o auxílio seja pago até o fim da vacinação contra a Covid-19. Porém, a estimativa é que a aplicação da 1ª dose seja concluída até o mês de outubro.

Após o fim dessas novas parcelas o governo pretende dar início ao pagamento do Novo Bolsa Família. Esse terá a média de pagamento ampliada passando de R$ 192 para R$ 300. Além disso, haverá ampliação no número de beneficiários de 14,6 milhões para 18,6 milhões.

Além do auxílio emergencial, os Estados e municípios criarão programas regionais para atender a população mais carente. Esses benefícios sociais surgiram, principalmente, no período em que não estava sendo pago o auxílio emergencial.

Benefícios sociais criados durante a pandemia

Auxílio merenda

Boa parte dos Estados ao auxílio merenda já que as aulas presenciais passaram a ser remotas ou híbridas. Dessa maneira, não era oferecida merenda e, portanto, o valor foi repassado para as crianças. Com isso, foi garantida a alimentação necessária para o desenvolvimento físico e mental.

Três benefícios sociais criados para os vulneráveis durante crise da COVID-19
Três benefícios sociais criados para os vulneráveis durante crise da COVID-19 (Imagem: Secretaria de Educação de São Paulo)

O auxílio merenda foi uma das medidas adotadas por estados, como Alagoas, Amazonas, Distrito Federal e São Paulo. Cada região adotou a forma que mais se adaptou as características e necessidades.

O Estado de Alagoas, por exemplo, disponibilizou R$ 1,7 milhões em forma de crédito para as escolas comprarem kits de merenda para serem repassados aos estudantes. Com isso, os kits foram entregues aos jovens matriculados na rede estadual de ensino.

Auxílio gás

Com o aumento da inflação os produtos considerados essenciais para as famílias brasileiras passaram por reajustes constantes durante o último ano. Diante disso, algumas regiões criaram o vale-gás para que as famílias pudessem continuar comprando o item.

O botijão de gás de cozinha já é vendido a mais de R$ 90 e sua compra tem s tornado cada vez mais difícil. Dessa maneira, o Estado do Maranhão e do Ceará, assim como outros lugares, passaram a distribuir voucher para a compra do combustível.

Benefício para órfãos

O Governo Federal pretende criar um benefício direcionado aos órfãos. A ideia é que todos os meses sejam repassados R$ 250 para criança e/ou adolescente que esteja nessa condição. Porém, o pagamento só será disponibilizado após os pais ou responsáveis falecerem em virtude da Covid-19.

Esse é um dos benefícios sociais que pretende minimizar os impactos gerados pela Covid. Será considerado todo o óbito causado pela doença desde o início da pandemia no Brasil. A previsão é para que o benefício continue a ser pago até que o jovem complete 18 anos de idade.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.