Novo Bolsa Família deve gerar gasto de R$ 51 bilhões aos cofres públicos

Governo federal calcula estratégia de reformulação do Bolsa Família. Nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro e parte de sua equipe vem anunciando mudanças no principal projeto social do país. Com previsão para implementação no segundo semestre deste ano, as medidas terão um custo de aproximadamente R$ 51 bilhões. Acompanhe.

Novo Bolsa Família deve gerar gasto de R$ 51 bilhões aos cofres públicos (Imagem: Google)
Novo Bolsa Família deve gerar gasto de R$ 51 bilhões aos cofres públicos (Imagem: Google)

A reformulação do Bolsa Família tem sido anunciada como uma prioridade no governo Bolsonaro. Segundo fontes administrativas, o planejamento inclui uma nova versão do projeto assim que for concluída a extensão do auxílio emergencial, que deve perdurar entre outubro e novembro.

O que será o novo Bolsa Família?

De modo geral, Bolsonaro presente ampliar o número de famílias contempladas e aumentar o valor das mensalidades. De acordo com as últimas entrevistas concedidas pelo presidente, a faixa de renda mínima de extrema pobreza subirá de R$ 89 para R$ 95, já a linha de pobreza sairá de R$ 178 para R$ 190.

Com isso, o governo espera atender cerca de 16,7 milhões de famílias, sendo 1,9 milhões a mais do que os atuais beneficiários.

No que diz respeito ao valor das mensalidades, aqueles inclusos na faixa da primeira infância (de zero a 6 meses) e benefício variável para crianças de 3 anos a jovens de 21 anos, receberá uma mensalidade de R$ 105 por pessoa e limite máximo de 5 pagamentos por família.

É válido ressaltar, que na primeira infância a cota é dobrada. O governo prevê ainda um acréscimo de R$ 10 por pessoa. Ao total o esperado é que as famílias sejam contempladas com mensalidades de R$ 310.

Principais mudanças do Bolsa Família

  • Valor do auxílio-creche mensal para cada criança seria de R$ 52,00
  • Bônus anual para o melhor aluno de R$ 200,00
  • Bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual de estudante científico e técnico de destaque de R$ 1.000,00
  • Renovação nas regras de entrada e saída do programa
  • Atualização nos critérios mínimos de renda para inclusão no projeto

A previsão é de que todas as medidas passem a valer efetivamente em janeiro de 2022 como uma estratégia política de Bolsonaro para garantir sua reeleição.

Desde a confirmação da candidatura do ex-presidente Lula, o atual chefe de estado vem reforçando sua agenda social para a garantia de tal eleitorado.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Novo Bolsa Família deve gerar gasto de R$ 51 bilhões aos cofres públicos

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA