Fortaleza avança imunização contra COVID, mas prevê crise por cidadãos faltosos

Apesar do avanço no calendário de imunização contra a Covid-19 em Fortaleza, os cidadãos da capital cearense não têm comparecido nos postos de vacinação mesmo após o agendamento. Os motivos do não comparecimento podem ser numerosos, desde dificuldades de locomoção até problemas de saúde. 

Fortaleza avança imunização contra COVID, mas prevê crise por cidadãos faltosos
Fortaleza avança imunização contra COVID, mas prevê crise por cidadãos faltosos. (Imagem: Thiago Gadelha/SVM)

Embora as razões possam ser justificáveis, o departamento estadual de Epidemiologia apontou que a ausência nos postos de imunização pode gerar impactos sanitários e econômicos expressivos.

A atitude, ainda que não seja intencional, é capaz de atrasar a volta de um cenário ameno e dentro da normalidade no pós-vacinação. 

Até o último sábado, 26, a cidade de Fortaleza bateu o recorde de imunização diária mediante a aplicação de 58 mil doses de vacinas contra a Covid-19.

Conforme informado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 71 mil munícipes fizeram o agendamento para a vacinação, porém cerca de 13 mil não compareceram na data e local indicado.

Em virtude deste não comparecimento, as doses remanescentes que seriam aplicadas nos cidadãos que fizeram o agendamento para o último sábado e domingo, 26 e 27, respectivamente, serão utilizadas na aplicação da primeira dose amanhã, quarta-feira, 30.

Nesta terça-feira, 29, a imunização em Fortaleza será exclusiva para a aplicação da segunda dose da AstraZeneca naqueles em que a primeira dose vence em julho. 

Atendendo às diretrizes do Ministério da Saúde, a Prefeitura de Fortaleza tem vacinado os adultos com 18 anos de idade ou mais, sem comorbidades. Até o momento, não há previsão da ampliação do calendário de imunização para os adolescentes. 

Visando estimular e alertar a população quanto à necessidade e importância da imunização contra a Covid-19, a Prefeitura de Fortaleza tem permitido que os munícipes que fizeram o agendamento, mas que não compareceram na data original possam ser incluídos na vacinação voltada à repescagem dos faltosos. 

Neste sentido, a secretária municipal de Saúde, Ana Estela Leite, recomenda que essas pessoas acessem o site da administração municipal e verifiquem as listas publicadas. Bem como o Vacine Já para não deixarem essa nova oportunidade passar. 

Ela ainda explicou que não há uma garantia sobre a repescagem contínua, tendo em vista que ações como essa dependem da disponibilidade de doses. Por outro lado, essa oferta quer dizer que o número de cidadãos que não foram imunizados é significativo, o que não é recomendado. 

Faltosos na imunização

Para o epidemiologista e professor do Departamento de Saúde Comunitária da Universidade Federal do Ceará (UFC), Luciano Pamplona, em entrevista ao G1, as faltas nos postos de imunização de acordo com os agendamentos são preocupantes.

Isso porque, “a ação é feita em cima da quantidade de doses disponíveis e um impacto na saúde pública de adiar ainda mais a imunidade de rebanho [coletiva]”. 

Por esta razão que grupos de cientistas por todo o mundo alegam que é preciso vacinar completamente, cerca de 70% da população, para evitar a disseminação em massa do novo coronavírus. 

Segundo dados obtidos pelo IntegraSUS na manhã da última segunda-feira, 28, o Governo do Ceará já havia feito o agendamento de 64,7% da população para a imunização através do site Saúde Digital.

Contudo, ao fazer uma comparação com as estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mesmo se a capital cearense vacinar todas as pessoas cadastradas no sistema, não seria possível atingir a meta de imunização coletiva adequada. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.