Carne, leite e cerveja devem ter preço alterado com privatização da Eletrobras

Nesta segunda-feira (21), o Congresso aprovou a medida provisória (MP) de privatização da Eletrobras. Assim, o texto segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro. Além do possível impacto sobre as contas de luz, a desestatização deve causar reflexos em itens como carne, leite e cerveja.

Carne, leite e cerveja devem ter preço alterado com privatização da Eletrobras
Carne, leite e cerveja devem ter preço alterado com privatização da Eletrobras (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A sanção presidencial da MP de privatização da Eletrobras deve ocorrer dentro do prazo de 15 dias. O limite se encerra dia 6 de julho. O governo projeta que a medida causará uma diminuição da conta de luz entre 5% e 7% a partir de 2022.

Para especialistas, por outro lado, a desestatização deve resultar em aumento da conta de luz. Segundo os especialistas apurados pela BBC News, os custos adicionais decorrentes desta ação devem encarecer a conta nos próximos anos. Além do reflexo direto, a privatização deve ter consequências indiretas.

Itens podem ter preço alterado com privatização da Eletrobras

Conforme a BBC News, a energia elétrica representa uma parte considerável dos custos do setor de serviços e da indústria. Por conta disso, a alta do preço da energia seria repassada aos produtos consumidos pela população.

De acordo com um levantamento da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), o gasto com energia elétrica representa 48% do valor do leite, 34% da carne e 28% da cerveja.

Diante deste possível acréscimo, a Abrace, em comunicado publicado em maio, informou que poderá haver uma alta de 10% no leite e 7% na carne, por exemplo.

A entidade ainda aponta que esse reflexo se adiciona a um cenário que já possui pressão nas refinarias. Os reajustes podem chegar a 20% ou 30% no ano que vem.

Este número seria decorrente da situação dos reservatórios diante da crise hídrica e das altas que foram evitadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) diante da pandemia de covid-19.

O setor produto prevê que dois terços do impacto do aumento de preços de energia elétrica ocorrem nos serviços ou produtos consumidos pela população. Sendo assim, o reflexo indireto acabaria sendo maior do que o reflexo impacto sobre as contas de energia.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA