Taxa SELIC chega a 4,25%; afinal, o que isso tem haver com você?

A meta da taxa Selic teve uma alta para 4,25% definida na última terça-feira, 16 de junho de 2021. Esse é o terceiro aumento seguido feito pelo Banco Central, que começou a elevar a taxa básica de juros em março deste ano.

Taxa SELIC chega a 4,25%; afinal, o que isso tem haver com você?
Taxa SELIC chega a 4,25%; afinal, o que isso tem haver com você? (Foto: No detalhe)

Essa decisão foi anunciada na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que é realizada a cada 45 dias e decide se a meta da taxa vai subir, cair ou permanecer igual. 

No comunicado, o Copom destacou que os riscos para a recuperação econômica brasileira reduziram, mas a inflação continua preocupando.

“A persistência da pressão inflacionária revela-se maior que o esperado, sobretudo entre os bens industriais”, afirmou no comunicado.

Além disso, o Banco Central comentou sobre a crise hídrica atual que o país está passando e que deve causar um aumento significativo nas contas de luz para todos os brasileiros.

“As implicações da deterioração do cenário hídrico sobre as tarifas de energia elétrica contribuem para manter a inflação elevada no curto prazo”, informou o banco.

Como as mudanças na taxa Selic impactam você?

A Selic, é a taxa básica de juros, assim as mudanças dela impactam diversas outras taxas no mercado como os juros dos empréstimos, dos parcelamentos, rendimentos da poupança, entre outros.

Assim, quando a Selic aumenta, os juros tendem a sofrer aumento também e impactam em duas frentes.

A primeira frente é a de crédito, quando a Selic sobe, os juros de empréstimos, financiamentos, parcelamentos, tudo isso tende a subir também. Assim, o crédito fica mais caro e menos acessível às pessoas.

Já a segunda frente é de investimentos, a Selic e outras taxas ligadas a ela (como o CDI) são usadas como parâmetro para os rendimentos de vários investimentos de baixo risco, como a poupança e aplicações em renda fixa. Quando ela sobe, esses rendimentos também crescem.

Com isso, o aumento da Selic faz com que tomar crédito fique mais caro. Mas também faz com que o dinheiro que você mantém guardado ou investido em aplicações de baixo risco se valorize mais e com isso te gere mais renda.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.