Tempo de serviço pode mudar parcelas disponíveis no seguro desemprego

Trabalhadores que desejam ter acesso ao seguro desemprego devem contabilizar suas jornadas de trabalho. Com os índices de demissão em alta, milhares de brasileiros passaram a recorrer aos benefícios trabalhistas para garantir sua sustentabilidade. No entanto, a concessão e quantia de parcelas variam de acordo com o tempo de serviço prestado.

Tempo de serviço pode mudar parcelas disponíveis no seguro desemprego (Foto Reinaldo canato /veja.com)
Tempo de serviço pode mudar parcelas disponíveis no seguro desemprego (Foto Reinaldo canato /veja.com)

O seguro desemprego nada mais é do que o pagamento de um benefício trabalhista para quando o cidadão é demitido sem justa causa.

Ele funciona como uma espécie de salário temporário, podendo ser concedido entre três e até cinco parcelas. Essa determinação, por sua vez, varia de acordo com o tempo de trabalho prestado.

Como saber a quantidade de parcelas do seguro desemprego?

A definição da quantidade de parcelas do seguro desemprego é variável. Para conceder o benefício o governo leva em consideração o tempo de serviço prestado e também quantas vezes ele já solicitou o seguro.

Para aqueles que são demitidos pela primeira vez, é preciso ter ao menos 12 meses de salário recebido durante 18 meses anteriores a data de sua demissão.

  • 12 – 23 meses: 4 parcelas ou 24 meses ou mais: 5 parcelas

Já para quem irá fazer o segundo pedido, é necessário ter 9 meses durante os 12 meses imediatamente anteriores à data da demissão.

  • 9 a 11 meses, receberá 3 parcelas;
  • 12 a 23 meses, receberá 4 parcelas;
  • 24 meses ou mais, receberá 5 parcelas

A partir da terceira solicitação, o cidadão tem que ter recebido salário nos 6 meses imediatamente anteriores à data da demissão.

  • 6 a 11 meses, receberá 3 parcelas;
  • 12 a 23 meses, receberá 4 parcelas;
  • 24 meses ou mais, receberá 5 parcelas.

Valores do seguro desemprego em 2021

A concessão do benefício é feita com base no piso nacional em vigor. Para 2021, com o salário mínimo em R$ 1.100 o cálculo ocorre da seguinte forma:

Faixas de Salário Médio Valor da Parcela do seguro desemprego
Até R$ 1.683,74 Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)
De R$ 1.683,74 até R$ 2.806,53 O que exceder a R$ 1683,74 multiplicar por 0,5 (50%) e somar a R$ 1.347,00
Acima de R$ 2.806,53 O valor da parcela será de R$ 1.909,34

Simule o valor de suas parcelas em nossa calculadora virtual e acompanhe os serviços públicos através de nosso canal no Youtube. 

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 4
Total de Votos: 2

Tempo de serviço pode mudar parcelas disponíveis no seguro desemprego

×
Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA