Por que a aprovação do 13º salário do INSS ainda não saiu? Guedes prometeu antecipação

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na última semana que o 13º salário do INSS para aposentados e pensionistas seria antecipado em breve. Esta seria apenas uma das medidas providenciadas pelo Governo Federal no intuito de conter, o quanto antes, os impactos econômicos decorrentes da pandemia da Covid-19. 

publicidade
Por que a aprovação do 13º salário do INSS ainda não saiu? Guedes prometeu antecipação
Por que a aprovação do 13º salário do INSS ainda não saiu? Guedes prometeu antecipação (Imagem: Reprodução/Google)

Além do mais, a promessa se baseava na condição de apreciação e aprovação do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) pelo Congresso Nacional, órgão que também fez a mesma promessa referente ao 13º salário do INSS

O Orçamento de 2021 foi aprovado na última quinta-feira, 25, embora o Governo Federal ainda não tenha feito nenhum comunicado sobre as respectivas datas e ações.

publicidade

Vale ressaltar que, mesmo após aprovado pelo Congresso, o texto foi enviado para sanção presidencial que ainda não aconteceu até o presente momento.

E segundo a Secretaria-Geral da Presidência, não há uma previsão para a conclusão desta etapa por parte do presidente Jair Bolsonaro. 

O presidente Jair Bolsonaro confirmou que o Governo Federal tem se empenhado para divulgar o mais breve possível o calendário do 13º salário do INSS.

A declaração referente à possibilidade de o calendário do 13º salário do INSS ser divulgado na próxima semana foi dada pelo presidente Bolsonaro, durante uma reunião junto à Caixa Econômica Federal (CEF) no Palácio do Planalto. 

“Caso o orçamento seja aprovado hoje [quinta-feira, 25], poderemos na próxima semana antecipar a primeira parcela do 13º para aposentados e pensionistas do INSS. Isso equivale a aproximadamente R$ 50 bilhões”, afirmou.

No ano de 2020, a antecipação do 13º salário do INSS aconteceu entre os meses de abril e maio, gerando um impacto integral de R$ 47,2 bilhões. Em contrapartida, o adiamento deste benefício poderá contemplar 31 milhões de beneficiários cadastrados no INSS

publicidade

Esta alternativa foi divulgada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda no mês de fevereiro deste ano. Ela é vista como uma ação de simples execução para a equipe econômica, uma vez que não requer crédito extraordinário.

Além do que, a proposta de estimular o consumo aconteceria de acordo com orçamento estabelecido pelo próprio Governo Federal, sendo que apenas antecipa a data deste acontecimento.

No entanto, mesmo após a aprovação do Orçamento de 2021, o próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, alegou que o texto ainda não está em condições de ser colocado em prática. Isso porque, a proposta aprovada cortou R$ 26,46 bilhões provenientes de despesas obrigatórias do Governo Federal.

publicidade

Estas se equivalem a benefícios previdenciários, abono salarial e seguro-desemprego. O montante foi realocado para ser aplicado em emendas parlamentares. 

 

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.