Divulgada doença que lidera ranking de pedidos do auxílio doença

Um levantamento divulgado pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) mostra as doenças mais usadas como justificativa para afastamento do trabalho. E, consequentemente, requisição do pagamento de auxílio doença por parte do órgão. Em 2020, as doenças principais foram ortopédicas, como dor na coluna, em primeiro lugar.

Divulgada doença que lidera ranking de pedidos do auxílio doença
Divulgada doença que lidera ranking de pedidos do auxílio doença (Imagem: Reprodução / Google)

Entre os 459,5 mil beneficiários acometidos pelas 20 principais causas de incapacidade, 72% (332,7 mil) foram afastados por questões ortopédicas.

Dados divulgados pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho mostram que distúrbios osteomusculares, como dor nas costas, articulações, tendões e músculos, bem como fraturas e traumas representaram 14 dos 20 motivos listados.

A hérnia de disco e transtornos similares da coluna chegaram a motivar 49,3 mil das concessões de auxílios.

“As doenças ortopédicas também são responsáveis por levar o maior número de pessoas para os escritórios de advocacia porque, obviamente, elas não conseguiram o benefício nos postos do INSS”, explica a advogada previdenciarista Daniela Volpiani.

“É também um reflexo da falta de cuidado das empresas e do governo ao cumprir e fiscalizar normas de segurança e de saúde que deveriam ser praticadas em locais onde há trabalhadores que realizam atividades que exigem força ou movimentos repetitivos, como pedreiros, costureiras e empregados da indústria”, analisa.

Doenças psicológicas, como depressão e ansiedade, também se destacam. Elas ocupam cinco dos 20 motivos citados à requisição do auxílio doença. Foram quase 90 mil concessões relacionadas a isso.

Em meio a pandemia do novo coronavírus, a infecção por Covid-19 também teve seu lugar. Ela foi o terceiro maior motivo de incapacitação relatado ao INSS.

Ranking de pedidos do auxílio doença

Doença responsável por afastar o trabalhador Auxílios-doença concedidos em 2020
1 – Transtornos de discos lombares e de outros discos intervertebrais com radiculopatia (hérnia de disco, artrose da coluna e outros) 49.321
2 – Síndrome do manguito rotador (bursite e outras lesões na articulação do ombro) 37.311
3 – Infecção por coronavírus (Covid-19) 37.045
4- Dor lombar baixa (dor nas costas) 36.931
5- Lumbago com ciática (dor na parte inferior da lombar com inflamação do nervo ciático) 31.875
6 – Fraturas da extremidade distal do rádio (fratura do punho) 30.721
7 – Episódio depressivo grave sem sintomas psicóticos (depressão) 26.327
8 – Transtorno misto ansioso e depressivo (ansiedade e depressão) 20.986
9 – Fratura da clavícula (osso que liga o braço ao tronco) 19.413
10 – Fratura do maléolo lateral (fratura do tornozelo) 19.104
11- Fratura de outros dedos 18.739
12 – Fratura de ossos do metatarso (fratura do pé) 18.515
13- Síndrome do túnel do carpo (causada pela compressão do nervo entre a mão e o antebraço) 17.355
14 – Transtorno depressivo recorrente, sendo o episódio atual grave, sem sintomas psicóticos 16.101
15 – Fratura de outros ossos do metacarpo (fratura da mão) 15.081
16 – Ansiedade generalizada (preocupação excessiva e de difícil controle durante meses) 13.646
17 – Fratura da diáfise da tíbia (fratura da parte longa do osso da canela) 13.413
18- Episódio depressivo moderado 12.778
19 – Fratura da extremidade proximal da tíbia (ponta do osso da canela próxima ao joelho) 12.597
20 – Dor articular (dores nas articulações ou juntas) 12.303

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.