Presidente do Itaú acredita em impacto negativo no PIB após atraso da vacina da Covid-19

Nesta terça-feira (2), o novo presidente do Itaú, Milton Maluhy Filho afirmou que um atraso da vacina da covid-19 pode comprometer metade de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) projetado para 2021. Além disso, ele indicou que o Brasil deve adotar esforços em favor de uma agenda de reformas.

Presidente do Itaú acredita em impacto negativo no PIB após atraso da vacina da Covid-19
Presidente do Itaú acredita em impacto negativo no PIB após atraso da vacina da Covid-19 (Imagem: Divulgação)

O presidente da instituição alegou que um atraso no plano de vacinação poderá trazer impacto econômico no país. Caso o atraso seja de seis meses, o IPB projetado de 4% poderá cair pela metade.

Maluhy, que substitui Candido Bracher, realizou a declaração em uma teleconferência com jornalistas.

Apesar da existência de uma expectativa de recuperação da atividade econômica no Brasil para este ano, os efeitos negativos da pandemia permanecem. Ele ressalta que o cenário segue com um grau de incerteza, com destaque por conta da crise sanitária.

Diante do risco de redução do PIB, o presidente do Itaú Unibanco ressalta a importância de “vacinar o quanto antes”. Segundo ele o plano de vacinação deve ser tratado com uma política econômica.

Milhões de brasileiros já tomaram a vacina da Covid-19

Até esta terça-feira (2), o Brasil já contou com 2,4 milhões de pessoas vacinadas. Os dados foram obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de saúde.

Este número representa 1,55% das pessoas maiores de 18 anos no país. O estado de São Paulo possui o maior número de imunizados, com 500 mil pessoas inclusas.

Presidente do Itaú defende uma agenda de reformas

Com os resultados definidos das eleições no Congresso, Maluhy entende que as reformas voltarão a ser discutidas, de forma a retomar a uma agenda de crescimento. Ele destaca três pontos a serem discutidos — a PEC Emergencial, reforma administrativa e tributária.

Ele argumenta que qualquer programa emergencial, como o auxílio emergencial, precisa vir acompanhado de reformas. Dessa forma, o mercado entenderia que seria algo transitório.

O presidente afirma que a instituição segue com a premissa de que o teto de gastos será cumprido.

Para a próxima reunião do Comitê de política monetária do Banco Central, ele afirma que há expectativa de que os juros subam, com término do ano em 3,5%.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.