Contribuição do INSS tem reajuste para MEIs e trabalhadores autônomos

A alíquota de contribuição do INSS teve reajuste m 2021 e, com isso, os contribuintes terão que pagar um pouco mais para terem direito aos benefícios previdenciários. O reajuste varia com a categoria do contribuinte, por isso, veja neste post quanto os MEIs e os autônomos terão que pagar.

CContribuição do INSS tem reajuste para MEIs e trabalhadores autônomos
Contribuição do INSS tem reajuste para MEIs e trabalhadores autônomos (Imagem: JESHOOTS/Unsplash

A contribuição do INSS teve reajuste com base no aumento do valor do salário mínimo 2021 e, portanto, os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social terão que pagar um pouco a mais para ter direito aos benefícios previdenciários, sendo que os novos valores começarão a valer a partir do mês de fevereiro.

Os contribuintes individuais, como MEIs e autônomos, também terão o valor das contribuições reajustadas, de acordo com a categoria. Esse grupo paga a Guia da Previdência Social (GPS), com o respectivo código de pagamento do INSS.

Os Microempreendedores Individuais contribuem para o INSS com 5% do salário mínimo e, portanto, terá reajuste me 2021. É importante lembrar que os MEIs realizam o pagamento do tributo com o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

Dessa maneira, em 2020 os MEIs pagavam ao INSS R$ 52,25, porém, com o anúncio do reajuste do piso nacional para R$ 1.100 o valor da contribuição para a Previdência Social passa a ser de R$ 55.

Além disso, o MEI paga R$ 1 de ICMS, se desenvolver atividades de comércio e indústria e R$ 5 de ISS, se for prestador de serviço. Dessa maneira, o valor total pode chegar a R$ 61, caso desenvolva os dois tipos de atividades comerciais.

Os autônomos que contribuem para o INSS também terão reajuste, porém, esse é de acordo com a categoria. Sendo assim, aqueles que prestam serviços para pessoas físicas contribuem com 11% do salário mínimo e, portanto, terão que pagar R$ 121 ao mês.

Os autônomos que recebem mais de um salário mínimo até o teto do INSS (R$ 6.433,57) e prestam serviços para pessoas físicas ou jurídicas devem contribuir com 20% do salário e, portanto, terão que pagar entre R$ 220 e R$ 1.286,71 ao mês.

Quem contribui com 5% ou 11% para o INSS tem direito a aposentadoria por idade e outros benefícios do Instituto. Porém, quem contribui com 20% do salário tem direito, também, a aposentadoria por contribuição.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.