Crescem os pedidos de seguro desemprego; números assustam até governantes

Com a pandemia de COVID-19 muitos trabalhadores foram demitidos devido ao fechamento das empresas e comércios. Diante disso, foi grande o número de solicitações do seguro desemprego no acumulado do ano.

Crescem os pedidos de seguro desemprego; acumulado do ano impressiona!
Crescem os pedidos de seguro desemprego; acumulado do ano impressiona! (Imagem: Reprodução/Google)

Segundo o Ministério da Economia, no mês de março de 2020, o percentual de solicitação do seguro desemprego aumentou 9,44% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse aumento foi devido ao primeiro mês de isolamento e restrições sociais.

No mês de setembro, após seis meses de pandemia no Brasil, o país registrou 466.255 pedidos de seguro desemprego, de acordo com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

Esse número foi 10,6% inferior ao registrado no mesmo mês em 2019, quando foram solicitados 521.572 pedidos do benefício. Essa queda foi por causa do retorno gradual do comércio e indústrias.

Outra mudança no cenário brasileiro foi à inclusão do programa de Redução de Salário e Jornada de Trabalho que garantiu o emprego dos trabalhadores. Além disso, durante o período de pandemia as empresas se reinventaram e substituíram algumas funções, gerando novos empregos.

Houve também uma mudança no perfil dos brasileiros, os quais procuraram se formalizar ou começaram o próprio negócio diante do desemprego. Por esse motivo, o país teve um aumento no numero de microempresas e de Microempreendedores Individuais (MEI).

Entre os meses de janeiro e setembro de 2020 o Ministério da Economia recebeu 5.451.312 pedidos do seguro-desemprego. Esse quantitativo equivale a 5,7% maior que o mesmo período de 2019, que teve 5.157.026 pedidos, ou seja, 294.285 a mais.

No acumulado do ano, os pedidos aumentaram 1,9%, somando 6,8 milhões. É possível identificar que, sem dúvidas, a pandemia fez com que o país sofresse uma das maiores crises de emprego.

O setor de serviços foi o que mais registrou o número de requerimentos. Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho o setor concentrou 42,7% do total de pedidos, ou seja, foram ao todo 198.979 solicitações.

O setor é o que mais emprega no país e é o que mais sofreu com as medidas de distanciamento e com a quarentena. A secretaria também divulgou alguns dados sobre o perfil dos desempregados:

  • 59,9% homens e 40,1% mulheres;
  • 33,5% estão na faixa dos 30 a 39 anos de idade;
  • 59,4% tem ensino médio completo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.