Seguro desemprego: Três ou cinco parcelas? Saiba QUANTO tem direito de receber

Seguro desemprego permanece sendo fonte de renda para milhares de brasileiros. Diante do crescimento no número de demissões, o benefício passou a ser cada vez mais solicitado. Porém há ainda muitas dúvidas quanto ao seu funcionamento. Há aqueles com direito de receber três parcelas e outros que podem ser contemplados com cinco.

Seguro desemprego: Três ou cinco parcelas? Saiba QUANTO tem direito de receber (Imagem: Google)
Seguro desemprego: Três ou cinco parcelas? Saiba QUANTO tem direito de receber (Imagem: Google)

O seguro desemprego nada mais é do que um salário garantido pelo governo federal para todos os trabalhadores que foram demitidos sem justa causa. Nesse caso, é preciso que o cidadão tenha exercido suas atividades por meio do regime CLT.

Porém, não se pode esquecer que tem direito ainda aqueles brasileiros encontrados em serviço similar ao trabalho escravo e também os pescadores durante o período defeso. Para esses dois grupos, não é preciso apresentar a carteira assinada.

Como calcular o seguro desemprego

O benefício tem como valor mínimo o piso nacional em vigor, sendo os atuais R$ 1.045. O máximo a ser sacado é de R$1.813,03 por parcela.

Para definir a quantia, o sistema considera a média dos três últimos salários registrados em holerite e aplica sobre a tabela abaixo:

Faixas de Salário Médio Valor da Parcela
Até R$ 1.599,61 Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)
De R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29 O que exceder a R$ 1.599,61 multiplicar por 0,5 (50%) e somar a R$ 1.279,69
Acima de R$ 2.666,29 O valor da parcela será de R$ 1.813,03

Parcelas do seguro desemprego

No que diz respeito a definição da quantidade de parcelas, é preciso observar quantas vezes o benefício foi solicitado e o espaço de tempo entre eles.

Quem está solicitando pela primeira vez tem a maior chance de receber as cinco rodadas, dai por diante o benefício tende a oscilar diante do tempo de serviço prestado e quantidade de demissões.

Solicitação Exigências Número de parcelas
Primeira No mínimo, 12 meses de trabalho e, no máximo, 23 meses. 04
No mínimo, 24 meses de trabalho. 05
Segunda No mínimo, 09 meses de trabalho e, no máximo, 11 meses. 03
No mínimo, 12 meses de trabalho e, no máximo, 23 meses. 04
No mínimo, 24 meses de trabalho. 05
Terceira No mínimo, 06 meses de trabalho e, no máximo, 11 meses. 03
No mínimo, 12 meses de trabalho e, no máximo, 23 meses. 04
No mínimo, 24 meses de trabalho. 05

Solicitação digital

Agora com a pandemia do novo coronavírus o governo passou a permitir que a solicitação fosse feita online. Os segurados devem baixar o aplicativo da carteira de trabalho digital e fazer o pedido do benefício.

A ferramenta é gratuita e está disponível em telefones IOS e Android. Ao instalar, basta se conectar fornecendo o número do CPF, data de nascimento e nome completo. Nela é possível ainda conferir questões referentes ao FGTS e mais.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.