Conteste decisão do governo e volte a receber Bolsa Família seguindo ESTE passo a passo

Alguns beneficiários do Bolsa Família foram identificados como doadores de campanhas eleitorais e, por esse motivo, tiveram a ajuda financeira bloqueada. Esse grupo pode contestar a decisão do governo até o dia 15 de janeiro.

Conteste decisão do governo e volte a receber Bolsa Família seguindo ESTE passo a passo
Conteste decisão do governo e volte a receber Bolsa Família seguindo ESTE passo a passo (Imagem: Montagem/FDR)

Na primeira segunda-feira (04) do ano, o governo publicou as regras de bloqueio do pagamento do Bolsa Família para os beneficiários que foram identificados como doadores de campanhas eleitorais no ano passado.

Além disso, o governo também bloqueou o benefício de pessoas que recebiam a ajuda financeira e que se candidataram em 2020. Dessa maneira, o bloqueio atingiu também as famílias que tivessem algum membro eleito ou que tenha se candidatado.

O benefício também foi bloqueado para as famílias que tiveram membros que declararam à Justiça Eleitoral um patrimônio maior do que R$ 300 mil. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 91,5 mil beneficiários do auxílio emergencial ou do Bolsa Família fizeram doações.

O governo descobriu diversas irregularidades de beneficiários que estavam contribuindo financeiramente com campanhas eleitorais ou que estavam prestando serviços para as campanhas políticas das eleições municipais de 2020.

Com isso, tiveram o benefício bloqueado de forma temporária, a fim de que fosse finalizada a investigação que tenta descobrir irregularidades nas eleições municipais do ano passado. Porém, alguns cidadãos se queixam de bloqueios realizados de forma errada.

Diante disso, o governo deu o prazo até o dia 15 de janeiro para as famílias realizarem a atualização dos dados cadastrados e solicitar o desbloqueio. Quem não realizar a atualização terá o benefício cancelado definitivamente.

Essa data é para as famílias que possuem uma renda mensal per capita maior que dois salários mínimos no mês de dezembro de 2020, ou seja, R$ 2.090. Já as famílias com uma renda per capita entre meio salário mínimo até dois, ou seja, de R$ 522,50 a R$ 2.090 poderão solicitar o desbloqueio até o dia 14 de maio.

Em ambos os casos, a solicitação do desbloqueio deve ser feita nos centros de atendimento do programa, no qual será solicitada a atualização dos dados cadastrais.

Por esse motivo, é indicado que leve os documentos dos componentes da família, assim como documentos que comprovem a renda familiar e um comprovante de residência.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.