IPTU e IPVA 2021: Vale a pena fazer o pagamento à vista? Conheça os benefícios e descontos

Os dois gastos do início do ano que mais atrapalham a vida financeira dos brasileiros são o IPVA e o IPTU, pois muitos brasileiros não se programam com certa antecedência para a realização dos pagamentos. Sendo assim, muitas pessoas começam o ano com dificuldades financeiras, já que nesta época também há gastos com matrícula e material escolar.

IPTU e IPVA 2021: Vale a pena fazer o pagamento à vista? Conheça os benefícios e descontos
IPTU e IPVA 2021: Vale a pena fazer o pagamento à vista? Conheça os benefícios e descontos (Imagem: Scott Graham/Unsplash)

Uma das maiores dúvidas dos brasileiros é se a melhor forma de pagar os impostos é à vista.

Porém, para isso é necessário analisar a situação financeira do contribuinte, se ele está endividado, equilibrado ou investindo.

Caso ele esteja endividado ou equilibrado, não deve conseguir fazer esse pagamento à vista, sendo assim será necessário parcelar o imposto.

Evite ao máximo recorrer a empréstimos, limites do cheque especial ou outra maneira de crédito do mercado financeiro, pois isso faz com que o contribuinte acumule mais dívida e se torne uma bola de neve, por conta dos juros altíssimos cobrados.

De acordo com Reinaldo Domingos,  especialista em educação financeira e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), explicou que:

“Agora, caso a situação financeira esteja mais confortável, sendo investidor, recomendo, sem dúvida nenhuma que o pagamento seja feito à vista, já que obterá 3% de desconto no IPVA e 6%, em média, no IPTU”. 

Porém, é preciso estar atento aos seus compromissos no futuro, muitas pessoas se deixam levar por conta do desconto bom e assim acabam esquecendo que possuem outras contas para pagar naquele mês e nos próximos.

Por conta disso, os especialistas recomendam que seja feita uma avaliação com atenção, pois o dinheiro pode ser gasto apenas nessa conta e as outras não conseguirem ser quitadas.

O consultor financeiro Claudio Munhoz destacou que muitas pessoas utilizam o 13º salário para fazer o pagamento dessas dívidas. 

Porém, antes de escolher entre quitar dívida atuais, para as pessoas que estão com nome sujo, e as que virão, é necessário se atentar às taxas de juros das dívidas.

“É preferível quitar aquelas que têm as maiores taxas. Apesar do receio da vinda do IPTU, IPVA e dos demais gastos do começo do ano, o profissional pontua que são despesas programadas, ou seja, ainda não são dívidas. Para que não se tornem, é preciso ter organização e planejamento financeiro”, explicou ele.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.