Taxas de juros do FIES 2021: Veja quanto vai pagar no ensino superior

Oportunidade de ingressar no ensino superior com financiamento regulado pelo Governo Federal. O FIES 2021, que deve ser aberto no primeiro mês do ano, deve ser, novamente, uma alternativa bastante usada pelos estudantes brasileiros.

Taxas de juros do FIES 2021: Veja quanto vai pagar no ensino superior
Taxas de juros do FIES 2021: Veja quanto vai pagar no ensino superior (Imagem/Reprodução: Google)

A expectativa é de que o Fies 2021 seja bastante usado pelos estudantes após a pandemia, pois ele oferece a oportunidade de estudar sem pagar imediatamente as mensalidades dos cursos superiores.

FIES 2021: Taxas de Juros

O Fundo de Financiamento Estudantil é organizado em faixas, ou seja, espécies de grupos que atender a determinados grupos. É justamente de acordo com essas modalidades que os juros são calculados.

Faixa 1: Atende aos estudantes que possuem renda familiar bruta de até três salários mínimos, por pessoa. Nesse caso, os estudantes conseguem juros zero. Lembrando que esse grupo não tem juros atribuídos às mensalidades, mas elas são reajustadas sim com base na inflamação.

Faixa 2: É destinada exclusivamente aos estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Para ser inserido nela, o candidato deve ter renda familiar bruta de até cinco salários mínimos por pessoa. Nessa faixa a taxa de juros é de 3% ao ano.

Faixa 3: Assim como a faixa 1, essa é destinada a estudantes de todo o país. Desde que eles tenham renda familiar bruta de até cinco salários mínimos, por pessoa. Para esse grupo, a taxa de juros é calculada com base no curso escolhido. Pois é analisado o tempo de contratação do financiamento.

FIES 2021: Condições

O diferencial do financiamento estudantil é o pagamento do curso após a conclusão apenas.

Mas é preciso lembrar que no decorrer do curso o estudante precisa pagar algumas parcelas. Confira abaixo como funciona o pagamento enquanto se está estudando.

Durante o curso, caso o estudante não consiga o financiamento de 100% do curso, ele deve pagar o restante da mensalidade não financiada.

Trimestralmente o estudante paga uma taxa variável a depender do curso e do tipo de contrato, mas que tem o teto máximo de R$ 150,00.

A partir de 2018 o prazo de carência foi extinto. Assim, o estudante começa a pagar o financiamento assim que se forma e consegue um emprego de carteira assinada. O débito é creditado diretamente na conta do estudante, assim ele não precisa pagar boletos ou realizar maiores transações.

Continue acompanhando a editoria de Carreiras do FDR.

Jamille NovaesJamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha com professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR.