Chave PIX: Veja QUAIS os cadastros mais recomendados pelos especialistas

O PIX está disponível desde dia 16 de novembro, porém, quem ainda não cadastrou a chave PIX ainda pode cadastrar. Os especialistas recomendam o cadastro do celular ou o CPF na chave de identificação.

Chave PIX: Veja QUAIS os cadastros mais recomendados pelos especialistas
Chave PIX: Veja QUAIS os cadastros mais recomendados pelos especialistas (Imagem: Reprodução/Google)

Com o PIX é possível fazer pagamentos em dez segundos. Porém, para isso, é necessário fazer o cadastro da chave PIX, que pode ser o CPF/CNPJ, número de celular ou um número aleatório feito pela própria instituição.

Os especialistas recomendam o cadastro do CPF e número de telefone o mais rápido possível, mesmo que não seja realizado o novo serviço de pagamento. Esse recomendação é porque o CPF e o número de telefone são disponibilizados com muita facilidade.

Com isso, os criminosos podem se aproveitar e cometer fraudes financeiras com os seus dados. Esses dados ficam disponíveis em vários locais, tanto físico como online. Além disso, costumam ser informados com frequência, durante compras, cadastros e registros.

“Números de telefone e CPF estão disponíveis com muita facilidade. Caso algum criminoso tenha acesso a esses dados, é possível que ele tente fraudar o sistema e informar os dados de terceiros para aplicar um golpe”, alerta Carlos Netto, presidente-executivo da Matera, empresa que desenvolve tecnologia para o mercado financeiro.

Netto esclarece que o sistema PIX é seguro, mesmo assim, há a possibilidade que criminosos realizem um “hacking social” para conseguir o número informado. Os criminosos podem ligar e se identificar como o banco ou outra instituição.

Em seguida solicitam o código que chegou por SMS no celular. Caso essa informação seja repassada, os criminosos conseguem dar continuidade ao golpe e as transações serão geradas por outra pessoa. Por isso, a recomendação de Netto de cadastrar antes que um criminoso faça.

“As instituições devem verificar instantaneamente se o CPF confere com o titular. Porém, o golpe pode ser feito caso um cibercriminoso use a informação para abrir uma outra conta. Por isso, é recomendado atrelar as informações pessoas ao Pix, mesmo que o cliente não use esse sistema. Ele é gratuito e não cobra para cadastrar chaves. Então é melhor prevenir e não abrir margem para golpes”, disse o presidente-executivo da Matera.

Glaucia AlvesGlaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 7 anos. Esse ano começou a trabalhar como redatora e como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR e realiza consultoria de redação on-line.