Cartão de crédito foi clonado? Saiba TUDO que precisa fazer a partir de agora

Por meio de um cartão de crédito, o consumidor poderá realizar as compras de forma mais prática, sem precisar utilizar o dinheiro físico. No entanto, a pessoa corre o risco de passar por alguns problemas, como ter o cartão clonado. Este golpe acontece quando os dados do seu cartão são repassados para outro cartão. Caso a clonagem já tenha acontecido, confira o que fazer.

Cartão de crédito foi clonado? Saiba TUDO que precisa fazer a partir de agora
Cartão de crédito foi clonado? Saiba TUDO que precisa fazer a partir de agora (Imagem: Andrea Piacquadio/Pexels)

Normalmente, uma pessoa percebe que teve o cartão de crédito clonado ao receber a fatura ou o extrato da conta. A fraude dos dados pode acontecer em compras físicas ou virtuais. Entenda os passos a serem tomados.

Primeiramente, a perceber o problema, o consumidor deve comunicar imediatamente a operadora sobre o problema. Dessa forma, a empresa poderá realizar o bloqueio do cartão, o cancelamento e o estorno da operação.

Em seguida, a pessoa precisará analisar e saber cada cobrança que não reconhece. Em muitos casos, o nome do estabelecimento na fatura é diferente do apresentado nas placas físicas. Por isso, o consumidor deve estar atento a esse detalhe para poder reconhecer devidamente as cobranças.

Além de comunicar à operadora, é importante fazer um boletim de ocorrência (B.O.). Este passo é importante para ter uma comprovação de que houve uma fraude, caso ocorra alguma contestação indevida.

Por fim, um alerta de documentos furtados, roubados ou perdidos poderá ser feito. Esta ação está disponível no Alerta de Documentos Serasa.

Como evitar a clonagem

Uma forma de diminuir as chances de ter o cartão de crédito clonado seria pelo uso de um cartão virtual para realizar as compras online. O consumidor poderá utilizar este recurso pela emissão disponível no aplicativo da instituição financeira.

Pela internet, a pessoa deve verificar se o site a ser acessado é seguro. Promoções muito diferentes da realidade podem ser oferecidas para tentar enganar. Diante disso, sempre desconfie e pesquise previamente.

Outra forma que os golpistas utilizam para roubar os dados é por meio da coleta dessas informações pessoais em redes sociais. Sendo assim, o consumidor deve evitar, dentro do possível, o compartilhamento de fotos ou dados por essas plataformas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.