PIX criará NOVOS modelos de negócios para os bancos, diz presidente do Banco Central

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, declarou nesta quarta-feira (18) que o PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos, não chegou a fim de prejudicar as ações de grandes bancos e instituições financeiras, e sim, criar novos modelos de negócios utilizando sua facilidade em concluir as operações.

PIX criará NOVOS modelos de negócios para os bancos, diz presidente do Banco Central (Imagem: Adobe Stock)

“O PIX não tira receita dos bancos. Na verdade ele vai gerar novos modelos de negócios. O futuro tende a ser os bancos terem uma fatia menor, mas de uma torta muito maior”, acrescentou o presidente.

Campos Neto destacou que o PIX é o primeiro passo de um de projeto amplo de tecnologia planejado pelo Banco Central e afirmou que o papel moeda será cada vez mais questionado sob o ponto de vista de eficiência. “Teremos novos modelos de negócios, envolvendo pequenas empresas, por exemplo”.

Segundo o presidente, havia demanda por um sistema de pagamentos e transferências que fosse seguro, eficiente e de baixo custo. Com o PIX você pode realizar operações 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive feriados, de forma gratuita. E a operação é concluída em menos de 10 segundos.

Para o presidente do BC, a grande quantidade de instituições habilitadas para o PIX mostra que a tendência é de aumento da competição no sistema financeiro. O novo sistema tende a estimular as “fintechs” (pequenas empresas de tecnologia do setor financeiro) e “startups” (companhias inovadoras com custos baixos).

“A democratização é mais importante. Temos de estimular ‘fintechs’, ‘startups’. Os grandes bancos têm papel importante, e acho que não vão perder espaço. Vão se moldar a uma coisa diferente, à experiência do usuário, à interface com o consumidor, à conexão com outros negócios pequenos”.

Campos Neto acredita que sairá na frente o banco que tornar o pagamento através do PIX um ato tão simples quanto fazer uma ligação telefônica (Imagem: Reprodução/Google)

Novas experiências aos usuários

Campos Neto acredita que o banco que vai chegar na frente no uso do PIX é aquele que tornar tão fácil realizar um pagamento através do novo sistema do BC, quanto fazer uma ligação de telefone.

“…será a corrida pela melhor experiência do usuário. Conectar o PIX com a agenda telefônica. Algumas melhorias podem fazer com que a agenda do usuário melhore, se a experiência do usuário for boa. A gente viu isso na Índia, pessoas fecharam conta em um banco e abriram no outro”.

Números do PIX

De acordo com o presidente do Banco Central, nesta terça-feira (17), segundo dia de funcionamento do PIX, foram feitas quase 2 (dois) milhões de operações e a taxa de rejeição de transações, foi de 9% no primeiro dia para cerca de 6,5% no segundo. A transferência chamada DOC, tem rejeição de 5%.

“Estamos surpresos com o cadastramento de 30 milhões de chaves PIX em três dias. Conversando com pessoas que estudam isso há mais tempo, a gente não vê esse volume de adesão em nenhuma plataforma eletrônica. Não teve isso nem no Instagram, nem no Facebook, nada parecido. Estamos nos aproximando num total de 75 milhões de chaves, número grande de adesão”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA