PIX é mesmo gratuito? Saiba QUEM paga para você usar o serviço bancário sem taxas

A partir de novembro, o PIX estará disponível para a população, com a nova tecnologia será possível realizar transferências e pagamentos instantâneos de maneira rápida e principalmente barata. Entenda como o serviço será gratuito para os clientes e quem paga pelas transferências.

publicidade
PIX é mesmo gratuito? Saiba QUEM paga para você usar o serviço bancário sem taxas
PIX é mesmo gratuito? Saiba QUEM paga para você usar o serviço bancário sem taxas. (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

O PIX é mesmo gratuito?

 A gratuidade nas transferências e pagamentos valem para as pessoas físicas e MEIs (Microempreendedores Individuais), mas com algumas exceções.

A instituições financeiras poderão cobrar nos casos em que o cliente utilize a plataforma para receber por vendas ou prestações de serviços.

Mesmo assim, a nova plataforma tende a ter custos menores quando comparada com cartões de débito e crédito.

O PIX terá custos menores por ser um ambiente aberto, incentivando a competitividade e a entrada de novas instituições financeiras.

Quem paga pelos custos das transferências via PIX?

Embora chegue ao consumidor a custo zero, quem paga pelo custos das transações são os provedores de contas transacionais. 

Os provedores serão os bancos, fintechs e outras instituições financeiras interessadas em ofertar contas correntes, digitais, contas poupança, etc.

Serviços de contas e transferências gratuitas não mais uma novidade, já que vários bancos digitais já tinham esse tipo de estratégia.

Mesmo com as atuais TEDs, algumas instituições deixavam de cobrar as taxas dos clientes como forma de atrair e cativar os correntistas.

Com a chegada do PIX, o próprio Banco Central exige que os bancos e instituições não cobrem das pessoas físicas e MEI.

Esse tipo de regra só se tornou possível com uma plataforma aberta e com menos custos operacionais para ambos os lados.

Redução de taxas para lojistas e empresas

Quem acha que as funcionalidades do novo meio de pagamento se limitam às transferências entre contas está enganado.

Uma das maiores contribuições do novo sistema será na hora de pagar suas compras, seja pela internet ou nas lojas físicas.

Com um sistema mais rápido, simples e barato que os cartões atuais, o PIX tem tudo para ser aceito na maioria dos estabelecimentos no futuro.

Além de receber em segundos, os lojistas pagarão taxas menores sobre suas vendas e serviços prestados.

Em alguns casos, é possível que existam descontos para quem utilizar a nova ferramenta. Da mesma maneira que acontece para quem paga com dinheiro, por exemplo.

Outra aplicação que pode  ter economia é no pagamento de salários. Grandes empresas precisam negociar taxas na hora de fechar a folha de pagamentos.

Com os pagamentos eletrônicos será possível economizar na hora de enviar os salários para cada funcionário. Além de ter mais flexibilidade quanto à instituição escolhida.

Confira todas as aplicações do novo Sistema de Pagamentos Instantâneos:

  • Transferências entre pessoas físicas e MEIs;
  • Pagamentos entre clientes e empresas (incluindo comércios, lojas online e boletos eletrônicos);
  • Pagamentos entre empresas (pagamento de fornecedores por exemplo);
  • Transferências e pagamentos para o Governo (pagamento de impostos e outras obrigações sociais);
  • Pagamentos de salários e benefícios sociais.

Mesmo gratuito, o PIX é seguro?

Com tantos benefícios e custos reduzidos, surge a dúvida quanto à segurança do novo sistemas.

Sempre existe um custo para manter transações seguras e impedir que pessoas com más intenções se aproveitem de brechas na segurança.

A boa notícia é que o sistema é ainda mais seguro que o utilizado atualmente. Principalmente comparado aos boletos físicos e cartões de crédito.

Isso é possível pois o sistema de liquidação será unificado no Banco Central, ou seja, mesmo realizadas entre várias intuições todas as transações serão efetivadas na mesma infraestrutura.

O cadastro das chaves de segurança ainda adiciona mais uma camada de segurança nos smartphones dos usuários.

Vantagens do PIX para nosso sistema financeiro

Uma coisa que os brasileiros já não aguentam mais é a burocracia. Seja nos órgãos públicos ou privados.

Esse é um dos motivos que leva tantos brasileiros a ficarem de fora do sistema bancário.

A implementação do PIX pode ajudar a reduzir as inúmeras burocracias que enfrentamos diariamente. 

Pagamentos e transferências eletrônicas instantâneas podem ajudar a reduzir taxas, filas e dias de espera em vários processos do dia a dia.

Quem sempre paga pela burocracia é a população, seja financeiramente ou mesmo com seu tempo.

Reduzir esse tipo de custo é essencial para incentivar novos modelos de negócios físicos e online.

Esse incentivo com certeza será muito bem-vindo nessa fase de reestruturação que precisamos passar daqui para frente na economia brasileira.

Sandro MessaSandro Messa
Sandro Messa possui bacharelado em Ciências e Humanidades e Ciências Econômicas pela Universidade Federal do ABC (UFABC). No mercado de trabalho, tem passagem pelo Banco Mercantil do Brasil, como gerente de relacionamento. Atuou também como assessor de investimentos no Itaú Personnalité e na XP Investimentos. Atualmente, trabalha como Consultor Financeiro e dedica-se à redação do portal FDR.