Após alta no arroz é possível saber quando o preço do alimento voltará ao normal?

Um dos principais ingredientes na mesa da família brasileira, o arroz disparou seu preço nos supermercados nestes últimos dois meses. Um pacote de 5kg, antes vendido por volta de R$ 15, chega a custar R$ 40 em alguns estabelecimentos.

publicidade
Após alta no arroz é possível saber quando os preços voltarão ao normal?
Após alta no arroz é possível saber quando os preços voltarão ao normal? (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

O aumento nos preços dos alimentos atingiu em cheio o bolso dos consumidores, na contramão da inflação oficial do país, que encontra-se abaixo da meta estipulada pelo governo (que é entre 2,5% e 5,5%). Levantamento feito pela USP mostra que a alta do arroz chega a 100% em doze meses.

Por outro lado, a inflação subiu apenas 2,44% em um ano, segundo dados do IPCA.

Entressafra

A quantidade de arroz armazenado tem diminuído nos últimos anos, o que contribui para esse aumento nos preços. Há 10 anos o armazenamento na entressafra era de 2.500 toneladas. Hoje o valor não passa de 500 toneladas, uma queda de 80%.

Aumento na exportação

A alta nos preços do arroz também está associada à alta do dólar. Alguns países asiáticos pararam de exportar o alimento, e os Estados Unidos, por exemplo, estavam sem produto nas gôndolas. Houve então uma procura maior pelo arroz brasileiro, que também entrou em novos mercados, como o mexicano.

Os produtores têm preferência em exportar, ganhar em dólar, a vender nos mercados brasileiros. Houve um salto de 260% em exportações entre março e julho deste ano, totalizando 300 mil toneladas.

Patriotismo

Indo contra a política liberal que o governo afirma seguir, o presidente Jair Bolsonaro chegou a pedir “patriotismo” aos supermercados, para que não aumentasses os principais itens da cesta básica e que mantivessem menor margem de lucro. Em resposta, a Associação Paulista de Supermercados (APAS) disse que os aumentos estão sendo por parte dos produtores.

Preço do alimento voltará ao normal?

Para os economistas além da entressafra, a alta do dólar e a preferência pela exportação, o grande consumo de produtos da cesta básica durante a pandemia também são fatores que geraram esse aumento no segundo semestre de 2020.

E a expectativa é que o preço do arroz continuará alto nos próximos meses. Os especialistas citaram o ‘efeito elástico’, onde o valor do produto é aumentado por algum fator e ele dificilmente volta ao preço antes praticado.

AvatarGuilherme Moreira
Guilherme Moreira é formado em Criação e Produção Audiovisual pelo CBM (Centro Universitário Barão de Mauá). Atuou como roteirista, produtor e editor do SBT interior e na redação de blogs e sites informativos. Atualmente, trabalha como social media e redator do portal FDR. |  Instagram @guimemoreira