Procon de São Paulo notifica cerca de 300 estabelecimentos por prática de preço abusivo

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (24), o Procon SP notificou cerca de 300 estabelecimentos suspeitos de prática de preço abusivo, entre os dias 14 e 22 de setembro. Na fiscalização, os comércios têm de apresentar as notas fiscais de compra e venda de itens dos produtos.

publicidade
Procon de São Paulo notifica cerca de 300 estabelecimentos por prática de preço abusivo
Procon de São Paulo notifica cerca de 300 estabelecimentos por prática de preço abusivo (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

Ainda sem data para terminar, a operação está apurando o aumento injustificado dos valores cobrados em alguns produtos, como por exemplo o arroz de 5 kg, o óleo de soja de 900 ml e alguns tipos de carnes vermelhas (contrafilé, coxão mole, coxão duro e patinho).

Até o momento, os maiores preços encontrados na capital paulista foram: R$ 27,90 no pacote de 5 kg do arroz tipo 1; R$ 7,73 no óleo de sola em embalagem de 900 ml; e nas carnes, R$ 47,69 o kg do patinho, R$ 55,61 o kg do coxão mole, R$ 53,11 no coxão duro e R$ 64,99 o contrafilé.

Segundo o Procon, há o entendimento que o aumento nos produtos da cesta básica é um problema macroeconômico, causado devido a alta do dólar e outros fatores.

“O câmbio em alta provocou nos produtores uma corrida para exportação, colocando em risco o abastecimento dos produtos, o que consequente causa a elevação nos valores finais. Mas é inaceitável usar a questão macroeconômica para aumentar preços e lucrar mais à custa da população”, disse Fernando Capez, secretário de defesa do consumidor.

Reação dos supermercados à ação do Procon

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) orienta os supermercados associados a continuarem negociando com os fornecedores e que façam a aquisição apenas das quantidades necessárias para reposição, evitando gerar grandes estoques. Além disso, pede que os comércios ofertem aos clientes produtos que substituem os mais impactados pelo aumento.

Denúncia

Os consumidores podem realizar denúncias caso identifiquem comércios com preços abusivos. As informações podem ser repassadas através do site do Procon (www.procon.sp.gov.br), pelo aplicativo disponível para Android e iOS, ou pelas redes sociais, para as denúncias, marcando @proconsp no Twitter, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

AvatarGuilherme Moreira
Guilherme Moreira é formado em Criação e Produção Audiovisual pelo CBM (Centro Universitário Barão de Mauá). Atuou como roteirista, produtor e editor do SBT interior e na redação de blogs e sites informativos. Atualmente, trabalha como social media e redator do portal FDR. |  Instagram @guimemoreira