Veja como o resultado da Selic mexe com a Bolsa de Valores e seus investidores 

Em agosto, pela primeira vez na história, a taxa básica de juros, a Selic, chegou a 2%. O valor mais baixo registrado tem objetivo de incentivar o mercado de consumo. Os investidores, no entanto, estão sendo obrigados a reavaliarem seus investimentos e diversifica-los deixando de lado a renda fixa. 

publicidade
Veja como o resultado da Selic mexe com a Bolsa de Valores e seus investidores 
Veja como o resultado da Selic mexe com a Bolsa de Valores e seus investidores (Imagem: reprodução Google)
publicidade

A diminuição no investimentos de renda fixa já é uma realidade há alguns meses. De acordo com dados da B3, atualmente existem cerca de 3 milhões de investidores inscritos na Bolsa de Valores.

Ao todo, o aumento no número de investidores representa um aumento de 68% em relação ao ano passado. 

Com os impactos na renda fixa por conta da redução de juros, os investidores buscam na renda variável um lucro maior. Os preços na B3, no entanto, tendem a subir possibilitando os ganhos especulativos devido a precificação por oferta e demanda. 

Quando a demanda por uma ação é grande, significa que maior é a vontade de adquiri-la. Com isso, quem possui ações está ligado no movimento e toma a decisão de ficar com o ativo ou vender por um preço superior.

Um reflexo do movimento é o preço dos produtos no supermercado devido durante a pandemia.  

Investidores iniciantes no mercado

Para os iniciantes nos investimentos é preciso estudar o mercado e dedicar o tempo a compreender as melhores opções de renda variável. Apesar de atualmente a renda fixa possibilitar um menor campo de lucro, por outro lado o cenário fica melhor para a compra. 

Não adianta apenas receber uma instrução ou informação de uma empresa para investir. É necessário tempo de estudo para compreender quais ativos são mais seguros e como o mercado se comporta. 

Com as variações na taxa de juros no país, algumas opções de investimentos podem ser arriscadas para os iniciantes. 

Uma opção que o investidor tem além dos bancos e de corretoras, são as casas de análise automatizadas. Nelas, há equipes de analistas credenciados para auxiliar os investidores. 

As casas garantem que seus especialistas estão comprometidos a operacionalizar para o investidor além de gerar as análises sobre a Bolsa.

Lucas SantosLucas Santos
Lucas Santos é jornalista graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Possui experiência em assessoria de imprensa na Prefeitura Municipal de Cariacica e redação de notícias para o portal FDR. | Instagram @lucas.sanp | LinkedIn @lucassantospto