PIX: saque em lojas de varejo deve ser lançado no primeiro semestre de 2021

Novo serviço do Banco Central já tem data de lançamento. Nessa quinta-feira (20), o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resoluções do Banco Central (BC), João Manoel de Pinho Mello, informou que os saques de dinheiro em comércios passarão a ser feitos a partir do primeiro semestre de 2021. Criada dentro do sistema PIX, a modalidade permitirá que os correntistas tenham acesso a liberações sem precisarem ir até um banco.   

PIX: saque em lojas de varejo deve ser lançado no primeiro semestre de 2021 (Imagem: Google)
PIX: saque em lojas de varejo deve ser lançado no primeiro semestre de 2021 (Imagem: Google)

O PIX funcionará como um serviço de saque, administrado pelo Banco Central. O sistema de pagamentos e transferências promete ser feito de forma instantânea e deverá ser mais barato e rápido do que os que estão disponíveis atualmente no mercado, como TED e DOC.  

Quando anunciou a plataforma, o BC informou que ela tem como principal finalidade otimizar e agilizar ainda mais as liberações e envios de valores, pondo fim ao período de aprovação de 24h e cobranças de taxas de transferências.

A ideia é que já em 2021 ele passe a ser aplicado no varejo e na sequência seja expandido.  

— Nós colocaremos no primeiro semestre do ano que vem a funcionalidade do saque Pix no varejo, para diminuir o custo de manejo de dinheiro no varejo e poder oferecer a possibilidade de um serviço, de uma conveniência, para o consumidor — disse o diretor. 

Como sacar pelo PIX  

Para poder fazer saques ou pagamentos pelo Pix, o cidadão deverá ter em seu celular algum aplicativo de banco (tradicional ou fintech). Na sequência, basta ir até um caixa de supermercado, informar o valor desejado e a modalidade Pix.

O atendente escolherá a opção através da maquininha de cartão e irá exibir um QR Code que deverá ser lido pela câmera do celular.  

Pronto, o valor será validado automaticamente. Assim, o vendedor irá tirar os R$ 200 de seu caixa e entregar ao usuário na hora.  

Avaliação do Banco Central 

Segundo os representantes do Banco Central, o novo serviço deverá facilitar a vida do consumidor e também aumentará o fluxo de pessoas nas lojas dos comerciantes. Dessa forma, espera-se que seja uma atividade benéfica para ambas as categorias e além disso reduzirá as burocracias exigidas pelas demais instituições bancárias.  

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.