Flexibilização em São Paulo deve ser estendida, afirma Secretaria da Saúde

Em entrevista a TV Globo nesta manhã (23), o secretário municipal da Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, informou que a flexibilização da quarentena na capital deve ser ampliada. Com isso, a cidade entra na fase amarela do Plano São Paulo que foi elaborado para a volta da atividade econômica praticamente paralisada devido a pandemia do coronavírus.

publicidade
Flexibilização em São Paulo deve ser estendida, afirma Secretaria da Saúde
Flexibilização em São Paulo deve ser estendida, afirma Secretaria da Saúde (Foto Google)
publicidade

Neste momento a cidade de São Paulo está na fase laranja que autoriza a abertura de shoppings, galerias, comércios, escritórios e concessionárias.

Na etapa seguinte, a amarela, os bares, restaurantes e salões de beleza podem funcionar sem restrições. A confirmação do avanço de São Paulo para a fase amarela deve ser feita na sexta, 26 pelo governador João Dória (PSDB).

Edson infirmou que a capital está com números estáveis na taxa de ocupação de leitos de UTI e também de mortes pelo coronavírus, o que pode autorizar a cidade a passar para a próxima fase.

O Plano São Paulo, foi elaborado pelo governo estadual, e considera cinco índices para definir quais localidades do estado podem avançar nas fases de flexibilização: números de casos de covid-19, internações, mortes, taxa de ocupação de UTI e a quantidade existente de leitos para cada 100 mil habitantes.

Os dados atualizados pela Secretaria de Saúde mostram que atualmente são 119 mil casos oficiais de covid-19 e 6.6 mil mortes pelo coronavirus.

Hospitais de campanha continuam funcionando em São Paulo

O secretário afirmou que a desativação dos hospitais de campanha não vão acontecer e a prefeitura pretende manter as coisas como estão no momento.

“É preciso a gente enxergar o desenvolvimento da pandemia por mais uma semana, 14 dias eventualmente, para tomarmos uma decisão de desativação”, disse Edson Aparecido.

A capital tem dois hospitais de campanha associados ao poder público municipal: o do Pacaembú e o do Anhembi. Existem também outros dois hospitais de campanha em Heliópolis e no Complexo do Ibirapuera, porém eles são vinculados ao governo estadual.

O hospital do Pacaembú possui atualmente 33 internados, enquanto a do Anhembi tem 212, a grande parte deles em leitos de enfermaria, de acordo com dados atualizados ontem pela Secretaria de Saúde da cidade.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.