Auxílio emergencial: governo pode pagar mais três parcelas de R$500 a R$300

Auxílio emergencial poderá ser prorrogado. Nessa semana, uma nova proposta do coronavoucher foi divulgada. De acordo com fontes do governo, o presidente Jair Bolsonaro está reavaliando a possibilidade de aumentar o benefício para três parcelas: R$ 500 em julho; R$ 400 em agosto e R$ 300 em setembro. As informações ainda não foram confirmadas pelo ministério da economia, mas deverão ser anunciadas ainda nas próximas semanas. 

Auxílio emergencial: governo pode pagar mais três parcelas de R$500 a R$300 (Imagem: Reprodução - Google)
Auxílio emergencial: governo pode pagar mais três parcelas de R$500 a R$300 (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

De acordo com os especialistas, o motivo que levaria Bolsonaro a reavaliar sua posição contra o aumento do auxílio está relacionado as pesquisas políticas. Desde que afirmou não concordar com o pagamento no valor de R$ 600, o chefe do estado vem sendo alvo de críticas tendo em vista que a população vivencia uma das piores crises econômicas e de saúde pública da história. 

Desse modo, visando reverter o cenário, Bolsonaro estaria se articulando para aumentar o benefício e assim estreitar laço com seus eleitores que estão sofrendo dificuldades ao longo da pandemia. O pagamento pelos próximos três meses seria ofertado até que se fechasse o texto do Renda Brasil, programa de substituição do Bolsa Família 

Sobre o Renda Brasil 

Trata-se de um projeto do governo Bolsonaro que tem como finalidade reunir os principais programas sociais ofertados atualmente, como o abono salarial e bolsa família. O pagamento aconteceria para um grupo específico de cidadãos, considerados em situação de vulnerabilidade social, como uma espécie de pacote único.  

Para isso, o ministério da economia daria fim aos pagamentos das restituições do imposto de renda e aplicaria uma reforma tributária de modo que pudesse levantar mais fundos para custear o programa.  

Até o momento, as medidas, regras e demais informes do projeto não foram anunciadas. Mas fontes do governo esperam que sejam publicadas entre o mês de setembro e outubro.  

Sobre o auxílio emergencial  

Nesse momento, o governo dará início ao pagamento da terceira parcela para quem se cadastrou em março e para os beneficiários do Bolsa Família. Na sequência, receberão aqueles que se cadastraram até o dia 30 de abril (segunda parcela) e depois o último lote (segunda parcela).  

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.