Atenção! Governo vai liberar refinanciamento de imóvel como forma de empréstimo

O Banco Central (BC) autorizou o uso do refinanciamento de imóvel como garantia para a concessão de empréstimo bancário para os brasileiros que precisarem. O objetivo da permissão é que os clientes refaçam o financiamento da parcela da casa própria que já foi quitada aos bancos e desta forma, consigam mais crédito durante a crise causada pelo coronavírus.

Atenção! Governo vai liberar refinanciamento de imóvel como forma de empréstimo
Atenção! Governo vai liberar refinanciamento de imóvel como forma de empréstimo (Imagem Google)

A novidade foi apresentada ontem pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto que apresentou também um pacote de medidas que tem a finalidade de facilitar o acesso ao crédito que está prejudicado devido a pandemia.

Segundo Campos Neto, caso o consumidor tenha financiado um imóvel de R$ 500 mil no banco e já tiver quitado R$ 400 mil do total do financiamento, ele vai poder refinanciar esses R$ 400 mil e utilizar esse valor da forma que precisar. E essa operação de crédito deve ser feita com as mesmas taxas do financiamento imobiliário definidas originalmente.

Neto disse que um novo empréstimo pessoal possui taxas que beiram em média até 250% ao ano atualmente. Já os financiamentos no geral tem juros muito menores, na média de 9% a 9,5% ao ano (a taxa referencial, zerada atualmente, mais essa taxa de juros).

Por conta disto, realizar o refinanciamento de imóvel sairá mais em conta do que a realização de um novo empréstimo.

“Você vai ter a oportunidade de ir ao banco e dizer que, dos R$ 400 mil que já pagou, quer pegar R$ 200 mil de volta, como se estivesse repactuando o contrato. E nossa regra faz com que a taxa tenha que ser a mesma. Vale a mesma garantia e a mesma taxa. Então, a diferença é entre pegar um empréstimo de 250% ou de 9% ao ano. E a agilidade também será muito maior, porque a garantia já está constituída, a avaliação de risco e do imóvel já está realizada”, explicou Campos.

Segundo os cálculos realizados pelo Banco Central, a medida de refinanciamento pode conceder até R$ 60 bilhões de crédito para as famílias brasileiras. Porém, fique atento, pois de acordo com o BC “em caso de inadimplemento de uma das operações garantidas, as demais vencem antecipadamente”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.