TED sem tarifa! BC aposta nesta novidade para fim de 2020

As pessoas físicas que usarem o sistema de pagamentos instantâneos do BC (Banco Central) para fazer TED, transferência bancária entre bancos diferentes, poderão ser isentados de tarifas. De acordo com o Conselho Monetário Nacional (CMN), isso será uma regra.

TED sem tarifa! BC aposta nesta novidade para fim de 2020
TED sem tarifa! BC aposta nesta novidade para fim de 2020 (Foto: Google)

Este sistema será criado para facilitar a vida de quem faz pagamentos instantâneos. Além disso, servirá para aqueles que fazem essas operações todos os dias, inclusive nos fins de semana.

Segundo o Banco Central, o sistema começará a funcionar a partir de novembro deste ano. Atualmente, as transferências de recursos entre pessoas ou empresas, com contas em diferentes bancos, têm limite de horário, além de possuir taxas na hora do procedimento. Por isso, a ideia surgiu, pois o intuito é isentar essas tarifas.

Segundo o analista do BC Breno Lobo, chefe de subunidade do Departamento de Competição do BC, falta ainda que o órgão aprove a ideia e ainda não há informação se haverá limite de transferências gratuitas.

“O primeiro ponto é que é baixíssimo o custo pelo uso da infraestrutura do BC. Um banco não pode cobrar para emitir um cartão de débito e pelas transações. A lógica é a mesma para o sistema de pagamentos instantâneos”, afirmou Lobo.

Impostos pagos através do sistema

Outro analista do Banco Central, o Carlos Brandt, chefe adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do BC, informou também que, mais para frente será possível efetuar o pagamento de taxas federativas através do sistema.

Em resumo, os impostos poderão ser pagos dessa forma. “Em novembro já teremos possibilidade de pagamentos para taxas de passaporte, de taxas de entrada em partes municipais e taxas de fiscalização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária”, finalizou.

BC demonstra preocupação com Whatsapp

Recentemente, o Whatsapp anunciou a modalidade de pagamento de contas e boletos através de seu aplicativo. Porém, o Banco Central demonstrou um certo receio, por conta da sua popularidade e facilidade, o WhatsApp abocanha grande parte do mercado de pagamentos digitais. Com isso, a concorrência pode ser reduzida e os planos de transformar os bancos mais digitais iria por água baixo.

A preocupação maior se deu por que o Banco Central resolveu lançar esse ano um sistema de pagamentos instantâneos, o PIX.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amanda Castro
Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e graduanda de Administração pela Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE). É responsável pela área de negócios, tráfego e otimização SEO do portal FDR. Além disso, atua como redatora do portal FDR e demais portais de notícias desde 2017, produzindo conteúdo sobre economia, finanças pessoais e programas sociais.