Transferências via pix passam a ser cobradas após anúncio do Banco Central; entenda

As transferências via PIX serão taxadas pelo Banco Central. A notícia acabou pegando milhões de brasileiros de surpresa, tendo em vista que não esperavam ter que efetuar este pagamento. Então, entenda melhor quais serão as condições que vão levar à taxação do depósito.

Revelada lista de NIS que vão receber o Auxílio Gás em dezembro; saiba como consultar
Transferências via pix passam a ser cobradas após anúncio do Banco Central; entenda
(Imagem FDR)

Após o anúncio oficial do Banco Central, as transações via PIX serão taxadas em todo o Brasil. Porém, é importante saber que não são todas as pessoas que serão prejudicadas com esta alteração. Apenas transações comerciais através da forma de pagamento serão fortemente fiscalizadas pelo Banco Central após o aviso.

A alteração já está em vigor e busca fazer com que a instituição consiga arrecadas mais dinheiro com o serviço. Principalmente pelo fato de ser uma ferramenta gratuita e amplamente utilizada. Atualmente, a forma de pagamento PIX é mais utilizada do que a própria cédula e já passou de cartões de crédito.

Como funcionará a taxação do PIX?

Inicialmente, é fundamental entender que a taxação será realizada exclusivamente para cobranças comerciais. Ou seja, apenas aqueles que utilizam o CNPJ como forma de pagamento serão impactados. Além disto, estas são as ocasiões que levam à cobrança por parte do Banco Central:

  • Recebimento de valor advindo de conta comercial;
  • Transferências por QR Code ou QR Code dinâmico;
  • Transferências com qualquer chave após o 31º Pix.

Portanto, é importante manter esses dados anotados e acompanhar a sua lista de pagamento mensal. Com isto, vai evitar que hajam taxações indesejadas para o seu negócio. Além disto, é uma forma de controlar a sua quantidade de pagamentos mensais, principalmente envolvendo negociações com os clientes.

Para aqueles que realizam as suas transações via CPF, não terão impactos práticos no seu dia a dia. O foco do Banco Central é atuar entre os cidadãos que utilizam a forma de pagamento para o recebimento de valores em decorrência de serviços e produtos.

Flávio Costa
Estudante de jornalismo, já atuou na área de assessoria política ao compor o time de comunicação da atual governadora do estado, durante sua campanha eleitoral. Anteriormente, cursou 2 anos no curso de relações internacionais, podendo ampliar sua visão no aspecto macro e micro do cenário nacional e internacional. Fluente em inglês, já atuou como professor de idiomas e também de matemática. Por fim, trabalhou ainda como analista de operações pelo grupo Amazon. Atualmente, dedica-se a universidade e ao portal FDR. Suas redes sociais são @flavioarcosta e [email protected].