Dinheiro Esquecido: Banco Central disponibiliza R$ 7,5 bilhões para saque

O Sistema de Valores a Receber ainda pode ser acessado nesse começo de 2024. Segundo o Banco Central ainda existem R$ 7,5 bi em dinheiro esquecido por brasileiros. Valores podem ser sacados pela própria pessoa ou por seus dependentes, em caso de falecimento. Veja como consultar o sistema.

Dinheiro Esquecido: Banco Central ainda tem R$ 7,5 bilhões para devolver
Dinheiro Esquecido: Banco Central ainda tem R$ 7,5 bilhões para devolver (Imagem: FDR)

O Banco Central ainda tem uma alta quanti de dinheiro esquecido disponível para saque. Ao todo, são R$ 7,5 bilhões que podem ser sacados por brasileiros e seus dependentes. Os valores são disponibilizados através do SVR (Sistema de Valores a Receber).

Dinheiro esquecido ainda pode ser sacado

  • Ao todo as instituições financeiras disponibilizaram R$ 12,8 bilhões.
  • Desse total R$ 5,3 bilhões já foram resgatados pelos brasileiros.
  • Segundo o último levantamento do BC feito em 12 de dezembro de 2023, 16,8 milhões de pessoas físicas e jurídicas já resgataram valores.
  • O número pode parecer alto, mas, representa apenas 27,85% do total de correntistas que têm direito aos valores.
  • O sistema é totalmente gratuito e de fácil acesso.
  • É possível resgatar o dinheiro esquecido por pessoas já falecidas, saiba mais.

Como acessar o Sistema Valores a Receber?

  • Acesse o site oficial;
  • Insira o número do seu CPF e a data de nascimento ou o CNPJ e a data de abertura da empresa.
  • Pronto, o sistema vai exibir a mensagem informando se há ou não valores a serem resgatados.

Para fazer o resgate do valor pelo sistema é necessário que a instituição bancária tenha aderido ao Termo do Banco Central e que você possua chave Pix (A chave Pix não pode ser a aleatória).

Outra alternativa é procurar a instituição bancária responsável pelo valor e solicitar o resgate.

O Banco Central também orienta que os brasileiros tenham cuidado com os golpes aplicados com uso do Sistema de Valores a Receber, saiba mais.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.