Imposto de Renda 2024: fizemos uma lista com as NOVAS regras e taxações extras

Pontos-chave
  • A Receita Federal busca simplificar o recolhimento do Imposto de Renda 2024;
  • A mudança tem o objetivo de isentar cerca de 13,7 milhões de contribuintes;
  • O Governo Federal planeja estender a isenção para contribuintes com salários de até R$ 5 mil.

Para o Imposto de Renda 2024, foi implementada uma nova tabela progressiva, elevando a faixa de isenção para R$ 2.112, um aumento significativo comparado aos antigos R$ 1.903,98

Imposto de Renda 2024: fizemos uma lista com as NOVAS regras e taxações extras
Imposto de Renda 2024: fizemos uma lista com as NOVAS regras e taxações extras. (Imagem: FDR)

A Receita Federal busca simplificar o recolhimento do Imposto de Renda 2024, introduzindo um desconto simplificado de R$ 528 na fonte de recolhimento, resultando em uma nova faixa de isenção total de R$ 2.640.

A mudança tem o objetivo de isentar cerca de 13,7 milhões de contribuintes pessoas físicas do pagamento do Imposto de Renda 2024, conforme projeções da Receita Federal.

O Governo Federal planeja estender a isenção para contribuintes com salários de até R$ 5 mil, prevista para entrar em vigor até 2026, ao final do terceiro mandato do presidente Lula

Essas atualizações no cálculo do Imposto são fundamentais para a nova configuração do sistema tributário. Confira abaixo, a nova tabela do Imposto de Renda em 2024. 

Nova tabela do Imposto de Renda para 2024

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IR (R$)
Até R$ 2.112 zero zero
De R$ 2.112,01 até R$ 2.826,65 7,5 R$ 158,40
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15 R$370,40
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68  22,5 R$ 651,73
Acima de R$ 4.664,68 27,5 R$ 884,96

Alíquota mensal progressiva até abril de 2024

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IR (R$)
Até R$ 1.903,98 zero zero
De R$ 1.903,01 até R$ 2.836,65 7,5 R$ 142,89
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15 R$ 354,80
R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5 R$ 636,13
Acima de R$ 4.664,68 27,5 R$ 869,36

QUEM DEVE DECLARAR IMPOSTO DE RENDA 2023? VEJA AS REGRAS, VALOR E DOCUMENTOS DO IRPF

O Imposto de Renda 2024 traz uma atualização integral na tabela, sendo a primeira desde 1996. Essa medida visa corrigir a defasagem de 155%, acumulada até maio de 2023, segundo dados da Unafisco Nacional

Anteriormente, durante o governo Dilma Rousseff, uma atualização parcial estabeleceu a faixa de isenção em R$ 1.903,98, valor que permaneceu até 2023. Embora a tabela progressiva esteja em vigor desde maio de 2023, os efeitos serão percebidos pelos contribuintes na declaração de 2024, referente ao ano-base 2023.

Defasagem do Imposto de Renda

Em 2023, uma significativa mudança na tabela do Imposto de Renda entrou em vigor, marcando a primeira atualização integral desde 1996. Com um reajuste que elevou a faixa de isenção para R$ 2.112, essa atualização busca corrigir a defasagem acumulada de 155%, considerando o IPCA até maio de 2023, conforme dados da Unafisco Nacional.

Anteriormente, durante o governo de Dilma Rousseff, uma atualização parcial fixou a faixa de isenção em R$ 1.903,98, vigente até 2023. A nova tabela progressiva já está em vigor desde maio de 2023, mas seus efeitos serão percebidos pelas pessoas físicas na declaração de 2024, referente ao ano-base 2023.

Reforma tributária prevê mudanças no Imposto de Renda 2024

Em 2024, o Congresso Nacional discutirá alterações na tributação de rendas para corrigir distorções, sem, contudo, uma proposta oficial do governo até o momento. A reforma do Imposto de Renda requererá cuidado, ponderação e uma abordagem reflexiva, pois não pode ser resolvida de maneira precipitada.

Os temas em análise para transformar a cobrança do Imposto de Renda incluem limites de isenção para pessoas físicas, tributação de empresas, combate à “pejotização” em setores econômicos, alíquotas progressivas para rendas mais altas e a taxação de lucros e dividendos distribuídos por empresas a investidores pessoa física. 

Questões como a taxação de offshores e fundos exclusivos já foram levantadas para aumentar a contribuição dos “super-ricos” no Imposto de Renda, assim como mudanças nas regras dos Juros sobre Capital Próprio (JCP).

Laura AlvarengaLaura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.
Sair da versão mobile