Dinheiro dos planos Collor e Sarney estão LIBERADOS para os brasileiros; Valor pode chegar a R$ 100 mil

Você pode ter um dinheiro a receber e não sabe. Isso porque repasses dos planos Collor e Sarney foram liberados. Cerca de 470 mil brasileiros estão inclusos no pagamento. As quantias, que chegam até R$ 100 mil, podem ser sacadas em até 15 dias, de acordo com Frente Brasileira Pelos Poupadores (Febrapo). Veja como.

Dinheiro dos planos Collor e Sarney estão LIBERADOS para os brasileiros; Valor pode chegar a R$ 100 mil
Dinheiro dos planos Collor e Sarney estão LIBERADOS para os brasileiros; Valor pode chegar a R$ 100 mil. Imagem: FDR

O confisco da caderneta de poupança, na época, reteve milhares de reais, o que gerou inúmeros processos judiciais. Como muitos processos judiciais para reaver o dinheiro tramitam há mais de 30 anos nos tribunais de todo país, inúmeros autores faleceram no decorrer do período.

No entanto, os direitos passam para os herdeiros e inventariantes. Esses, podem ser desde cônjuge, filhos, pais e parentes colaterais de até 4º grau. Segundo a Frente Brasileira pelos Poupadores (Febrapo), cerca de 140 mil pessoas estão nessa situação.

Como ter certeza sobre o dinheiro a receber dos planos Collor e Sarney?

Para saber se algum parente tem dinheiro a receber, é necessário consultar o site do Tribunal de Justiça do seu estado. Depois, acessar a parte “consulta de processos” e colocar nome e número do CPF do autor. Segundo a Febrapo, quase sempre a consulta é gratuita.

Caso esse caminho não seja viável, a entidade explica que há possibilidade de comparecer presencialmente no Fórum da respectiva cidade. A informação deve ser solicitada no setor de distribuição e consulta de processos.

Digitalmente:

  1. Basta acessar o site do Tribunal de Justiça do seu estado (procurar Tribunal de Justiça + nome do estado e clicar no primeiro link);
  2. Depois, é necessário procurar a parte de “consulta de processos” ou “consulta processual“;
  3. Uma nova aba com a opção de 1º ou 2º grau vai se abrir (verifique nos dois graus);
  4. Para verificar, basta colocar o nome ou o documento da parte (autor), tendo em mãos o nome e/ou o documento do autor do processo. Não há custo envolvido na consulta.

Vittoria Fialho
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já esteve como repórter no Diario de Pernambuco e no Portal NE45 Minutos. Nos veículos, fez parte das editorias de redes sociais e esportes. Também acumula experiência na assessoria de imprensa do Clube Náutico Capibaribe. Suas redes sociais são: @vtfialho e [email protected].