Ex-BBB é acusado de aplicar golpes; entenda o caso

O Big Brother Brasil é um dos programas de TV mais vistos no país. Com isso, os participantes ficam famosos e conhecidos da noite pro dia. Hoje vamos falar de um ex-BBB está sendo acusado de aplicar golpes. Entenda.

Ex-BBB é acusado de aplicar golpes; entenda o caso
Ex-BBB é acusado de aplicar golpes; entenda o caso (Imagem FDR)

Estamos falando do ex-BBB e humorista Nego Di. Ele foi alvo de uma denúncia realizada por um morador de Feira de Santana, na Bahia.

Ex-BBB é acusado de golpe 

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado pelo homem no último domingo, 16, ele teria adquirido uma televisão e um celular de Nego DI em abril de 2022 e, até agora, não teria recebido nenhum dos produtos e nem o dinheiro de volta.

Gilson Santos Junior, relatou ao Metrópoles que ele e a esposa eram fãs do humorista e sempre estavam de olho nas promoções loja divulgadas por Nego Di. 

“Tiramos esse dinheiro, que estávamos guardando há quase um ano, para fazer algum investimento e, ao ver o anúncio, resolvemos comprar os dois produtos. Nossa intenção era revender para ganhar um dinheiro. Confiamos na postagem dele e na empresa, que tem até CNPJ“, afirmou Gilson ao Metrópoles.

Glson revelou ainda que ficou “indignado, revoltado e frustrado”. “Ele seguindo em frente como se nada tivesse acontecido, usufruindo do bom e do melhor. Ao contrário de nós, trabalhadores”, afirmou.

Segundo o relato do homem, sua esposa também acabou sendo bloqueado na página de Nego Di no Instagram depois de postar vários comentários como forma de alerta as outras pessoas.

Agora, o boletim de ocorrência vai ser encaminhado para a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Feira de Santana, que deve trabalhe no caso.

Nego Di é alvo de outras denúncias 

O humorista vem sendo alvo de outras denúncias desde o último ano. Estas denúncias são decorrentes de supostos golpes aplicados por ele em vendas de produtos pela internet. Nego Di anuncia em suas redes sociais produtos de sua loja Tá Di Zuera!

“A cada dia novas vítimas comparecem e fazem novos registros de ocorrência. As pessoas estão mobilizadas em grupos de WhatsApp e acabam, com isso, gerando novos boletins de ocorrência, encorajando outras vítimas também a procurar a polícia”, disse o delegado Rafael Pereira, titular da 1ª Delegacia de Polícia de Canoas (RS) ao Splash UOL.

A defesa de Nego Di afirmou ao UOL que ainda que está averiguando a situação em contato com as autoridades policiais.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.