Pix vira ferramenta INCRÍVEL para limpar nome; entenda

O PIX chegou para facilitar as transações financeiras entre pessoas no Brasil, deixando o processo muito mais simples e rápido. Mas o sucesso da ferramenta criada pelo Banco Central pode ser observado também quando o objetivo é pagar dívidas. Entenda.

Pix surpreende os brasileiros com números extraordinários; veja riscos e benefícios
Pix está ajudando milhões de brasileiros a limparem o nome. Saiba como (Imagem: Montagem/FDR)

De acordo com a plataforma Serasa Limpa Nome, cerca de 3,3 milhões de acordos de dívidas foram negociados através do PIX em março deste ano, quando a ferramenta de pagamento entrou no ecossistema da empresa.

Dívidas negociadas através do PIX

Diante dos 3,3 milhões de acordos realizados, cerca de 2,4 milhões de pessoas efetuaram o pagamento de suas dívidas através do PIX. 

Em dezembro do ano passado, de acordo com a plataforma, o PIX foi a escolha para o pagamento de 18% das dívidas. Já na edição extra do Feirão Serasa Limpa Nome realizada em março deste ano, os pagamentos através do PIX subiram para 20%, totalizando 888.325 acordos pagos na última edição. 

Com isso, a média de acordos fechados por dia através do pagamento pela ferramenta do BC cresceu 67% em comparação com a média diária da edição de novembro do ano passado.

Em ações, como o Serasa Limpa Nome, é normal que as empresas ofertem descontos generosos para conseguir fazer com que o devedor pague o débito. Falando especificamente do Serasa Limpa Nome, cerca de 1,5 milhão de dívidas podiam ser quitadas por somente R$ 1. Os pagamentos de menor valor ainda seguem sendo os que mais são efetuados através do PIX.

Isto acontece pois, de acordo com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), muitas pessoas mantém ainda uma rotina de pagamentos como foi previsto no lançamento do PIX, que previa limites por transação. Mas, isso mudou desde o começo deste ano.

PIX como forma de pagamento de dívidas

A incorporação do PIX para pagamento de dívidas parceladas dentro do sistema financeiro nacional está sendo discutida.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, solicitou recentemente ao Banco Central a possibilidade de que dívidas sejam parceladas através do sistema de pagamento instantâneo. Na visão de Haddad, isto poderia ajudar a baratear o crédito no Brasil.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile