Valor do aluguel residencial atinge maior patamar em 11 anos

Em 2022, o valor de locação de imóveis residenciais no Brasil cresceu em média cerca de três vezes acima da inflação do ano passado (5,79%), segundo o índice FipeZap+. Confira todos os  detalhes.

Aumento do aluguel 

Este aumento acumulado de 16,55% no último ano é o mais alto patamar detectada pelo índice desde 2011 (17,30%). 

Em todos os municípios pesquisados o preço do aluguel cresceu em 2022.  Nas 11 capitais acompanhadas, a alta foi maior que a inflação oficial do país, medida pelo IPCA. Em dezembro, o preço médio da locação foi de R$ 36,65 o metro quadrado.

As informações foram obtidas pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e englobam os preços de aluguel de imóveis residenciais (somente apartamentos) em 25 cidades do país usando como base anúncios na internet.

Qual a razão do aumento?

De acordo com Pedro Tenório, economista do DataZap+, procurado pelo UOL, entre os motivos que levaram este aumento estão:

Aquecimento do mercado de trabalho, por conta da retomada das atividades na pandemia de covid-19, e repasse da inflação para o aluguel 

Alta acima da média em cidades como Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Goiânia (GO), que passam por uma fase de valorização imobiliária.

O que esperar para este ano?

Para este ano, segundo o economista, a projeção é que o crescimento de preços de aluguel desacelere, já que a inflação deve ser mais contida. 

“Além disso, tanto o PIB quanto o mercado de trabalho devem se estabilizar, o que contribui para o arrefecimento dos preços e um crescimento do mercado em menor ritmo, seguindo a linha da inflação”, disse ele ao UOL.

Maiores altas no preço dos aluguéis entre as capitais 

Maiores altas fora das capitais 

Cidades com preço médio de aluguel por m² mais caro

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile