Pix terá novas regras em vigor a partir de segunda-feira

O PIX passará por algumas mudanças em 2023 e o objetivo é o de trazer mais segurança e praticidade para os usuários da solução de pagamentos do Banco Central. Após a ferramenta atingir mais um recorde, o de 99,4 milhões de transações realizadas em apenas um dia, o BC percebeu que havia a necessidade de alterar algumas regras. Confira o que vai mudar no PIX.

Novos limites 

Entre as novas regras do PIX está uma que retira o limite de transferência. Atualmente existe um limite máximo que o usuário consegue transacionar. O valor muda de acordo com o banco e cada tipo de conta.

No entanto, a partir do dia 2 de janeiro, será possível usar todo o limite que tem em uma única transação. A nova determinação extingue também os limites de transação para usuários finais que sejam empresas, deixando a critério de cada banco definir desses valores.

O limite de valor por transação foi retirado, mas o de turno foi mantida. O que foi alterado nesta regra foi o valor permitido para ser transacionado. Em 2023, cada usuário físico pode transferir até R$ 3 mil no período diurno e R$ 1 mil no período noturno.

“Essa medida tem como objetivo adequar os limites usualmente disponibilizados nos caixas eletrônicos para saques tradicionais. Assim, com o Pix Saque, os usuários terão acesso ao serviço com condições similares às do saque tradicional”, disse o BC.

Pagamento de benefícios 

O Banco Central também considerou a ampliação do regulamento sobre o recebimento de benefícios.

A partir do próximo ano, será possível receber salários, aposentadorias e pensões pagas pelo governo através do PIX. Essa medida já é comum em empresas privadas e agora também engloba os funcionários públicos.

Entre as novidades, uma que ficará para o dia 3 de julho do próximo ano, são os ajustes nas disposições relativas à disponibilização da funcionalidade de gestão dos limites para os clientes através do aplicativo ou do canal digital do banco.

O PIX é um modo de transferência monetária instantâneo e de pagamento eletrônico instantâneo em real brasileiro, oferecido pelo Banco Central do Brasil a pessoas físicas e jurídicas, que funciona 24 horas ininterruptamente, sendo o mais recente meio de pagamento do Sistema de Pagamentos Brasileiro.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.