Vai viajar? Dicas ajudam a economizar combustível e dinheiro no final do ano

Neste período do ano, muitos brasileiros querem sair pra viajar. Seja uma viagem longa ou curta, é necessário se planejar. Neste planejamento não pode faltar a manutenção do veículo, que é essencial para se chegar ao destino com segurança. Também a escolha do combustível contribui para que o carro renda mais na estrada e represente uma economia significativa no bolso do viajante.

Um carro com todos os itens revisados, manutenção em dia e pneus calibrados está preparado para uma viagem sem imprevistos. “O abastecimento do veículo é outra recomendação importante”, afirma Antonio Ticianeli, especialista em petróleo e derivados e CEO da ecomanda Américas, empresa que desenvolveu e produz o aditivo X-tivator para vários tipos de combustíveis.

O engenheiro destaca que o desempenho dos veículos depende em grande parte de um combustível de qualidade. Gasolina ou etanol, a escolha está associada a vários fatores. “O etanol é 30% mais consumista, mas emite cerca de 40% de CO2 em comparação com a gasolina. Pela questão ambiental, minha recomendação é para que as pessoas, se puderem, utilizem o etanol.”

Outro ponto a ser considerado diante da bomba de combustível é o bolso do consumidor. “Aí vale aquela conta. Se no posto a diferença de preço do etanol para a gasolina for maior que 30% vale a pena utilizar o álcool. Se for menor que 30%, é recomendável abastecer com gasolina”, destaca.

As montadoras nacionais recomendam que a substituição da gasolina pelo álcool seja feita pelo tanque completo e rodando pelo menos 10 km após o abastecimento. Neste curto trajeto, o sistema do veículo calibra as emissões de gases e interpreta se o combustível usado é etanol ou gasolina. “Quando se troca o combustível sem rodar os 10 km, há aumento do consumo e o motorista precisará ir a uma concessionária para resetar o módulo de injeção do carro”, alerta o especialista.

Combustível aditivado ou aditivo no combustível? Segundo Ticianeli, o combustível aditivado, oferecido nas bombas, proporciona um ganho de 3% a 4% de rendimento. Na avaliação do especialista, os aditivos que podem ser colocados nos combustíveis, por sua vez, proporcionam menor demanda de manutenção do veículo, como trocas de filtros e velas, que podem ser estendidas.

Considerando o rendimento médio do brasileiro, que gira em torno de dois salários mínimos, e o valor de um tanque de combustível, que chega a R$ 300, Antonio Ticianeli calcula que a partir da manutenção regular do veículo e do uso de aditivos no combustível é possível economizar cerca de 10% ao ano.

“Para uma família, isso tem grande impacto”, diz o CEO da ecomanda Américas. Nesta época do ano, contar com um dinheiro a mais no bolso é a oportunidade de aproveitar melhor as férias e mesmo investir no presente de Natal.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.