Bom para uns, ruim para outros: Brasil LIDERA ranking mundial de JUROS reais

Nesta quarta-feira (3), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a taxa básica de juros, a Selic, para 13,75% ao ano. Com isso, o Brasil mantém liderança do ranking global de juros reais (descontada a inflação). O levantamento foi compilado pela MoneYou e Infinity Asset Management.

publicidade
Bom para uns, ruim para outros: Brasil LIDERA ranking mundial de JUROS reais
Bom para uns, ruim para outros: Brasil LIDERA ranking mundial de JUROS reais (Imagem: Montagem/FDR)

Como o novo aumento da Selic, os juros reais (descontada a inflação) do Brasil chegaram a 8,52% ao ano. No mês de junho, o patamar era de 8,10% ao ano. Atualmente, a taxa brasileira está mais do que o dobro acima do México, que ocupa a segunda posição do levantamento.

O cálculo dos juros reais ocorre a partir do desconto da taxa nominal — estabelecida pelo Comitê — pela estimativa de inflação para os próximos 12 meses.

publicidade

Conforme o levantamento, que analisou 40 países, 12 nações contam com juros reais positivos. São estes:

  1. Brasil: 8,52%
  2. México: 4,20%
  3. Hungria: 3,50%
  4. Colômbia: 3,18%
  5. Indonésia: 2,20%
  6. Chile: 1,79%
  7. Filipinas: 1,36%
  8. África do Sul: 1,07%
  9. Hong Kong: 0,85%
  10. Índia: 0,66%
  11. Argentina: 0,57%
  12. Malásia: 0,33%

Brasil está entre os países com maiores juros nominais

Já ao considerar os juros nominais (sem desconto da inflação), o Brasil segue ocupando a terceira colocação, com a Selic em 13,75%. A maior taxa nominal no mundo é a da Argentina, com alta de 49% para 60% entre junho e agosto.

Outro país com grandes juros nominais é a Turquia, que está na segunda colocação, com uma taxa nominal de 14%. Em julho, o banco central desta nação não aumentou os juros. Sendo assim, caiu a diferença dos juros nominais entre Brasil e Turquia.

De acordo com a Infinity Asset, houve uma queda das pressões de inflação mundial, “perdendo força em parte das medidas, dadas as retomadas dos embarques industriais na China e relativa estabilidade da questão russo/ucraniana”.

A corretora ainda informa que “os programas de aperto quantitativo continuam lentos, e o movimento global de políticas de aperto monetário continuou a ganhar força, com o aumento expressivo no número de BCs sinalizando preocupação com a inflação, mesmo com a queda do preço de commodities”.

Aumento da Selic é bom para uns, e ruim para outros

No Brasil, a taxa básica de juros aumentou pela décima segunda vez consecutiva. Com esses reajustes, o banco central visa controlar a escalada da inflação — que está acima de dois dígitos no acumulado dos últimos 12 meses.

publicidade

A taxa Selic funciona como uma base para outras taxas da economia. Por conta disso, os juros de empréstimos tendem a ficar mais caros.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Apesar disso, para quem deseja investir, os juros de diversos investimentos de renda fixa — atrelados à Selic — também devem oferecer retornos maiores.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.