EMPRÉSTIMOS e financiamentos vão ficar mais CAROS a partir de hoje

Nesta quarta-feira (3), por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa Selic para 13,75%. Esta taxa serve de parâmetro para outras taxas de juros da economia. Como resultado, os juros de empréstimos e financiamentos passam a ficar mais caros.

publicidade
EMPRÉSTIMOS e financiamentos vão ficar mais CAROS a partir de hoje
EMPRÉSTIMOS e financiamentos vão ficar mais CAROS a partir de hoje (Imagem: Montagem/FDR)

Atualmente, a taxa Selic está no maior patamar desde novembro de 2016, quando tinha chegado a 14% ao ano. O Banco Central vem aumentando a taxa básica de juros desde março do ano passado. Com isso, o cenário vem sendo mais difícil para quem toma empréstimos e financiamentos.

Apesar disso, o Comitê informou que o Banco Central optou por não encerrar o ciclo de aumento da taxa Selic na reunião desta semana. Isso por conta dos riscos de que a inflação continua acima das previsões em prazos mais longos.

publicidade

Ao reajustar a Selic, a autoridade monetária visa controlar a inflação, que está acima de dois dígitos no acumulado nos últimos 12 meses. O valor supera a meta de inflação para este ano, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para 2022, o centro da meta é de 3,5%, podendo oscilar entre 2% e 5%.

A próxima reunião do Copom acontecerá no fim de setembro. Em comunicado, o Comitê alegou que “avaliará a necessidade de um reajuste residual, de menor magnitude, em sua próxima reunião”.

Empréstimos e financiamentos ficarão mais caros com alta da Selic

A Selic serve como referência para os demais juros cobrados no país. Devido a isso, para estabelecer as taxas a serem cobradas em empréstimos e financiamentos, os bancos usam a taxa Selic como base.

Consequentemente, quando a taxa básica de juros está alta, as instituições financeiras repassam o reajuste aos clientes — e os juros nessas operações de crédito ficam maiores. O cenário oposto também acontece.

Como a Selic funciona na prática

Quando o Banco Central aumenta a taxa básica de juros, os juros cobrados em empréstimos e financiamentos ficam mais caros. Isso desestimula o consumo — e favorece a queda da inflação.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Já quando os juros caem, fica mais barato tomar dinheiro emprestado, pois os juros cobrados nessas operações ficam menores. Consequentemente, passa a haver estímulo para o consumo.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.