Inflação em alta: veja quais alimentos tiveram o maior REAJUSTE DE PREÇO em julho

A inflação em alta afeta, principalmente, os alimentos cujo reajuste no preço em julho encareceu itens como o mamão e o leite. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador da prévia da inflação, ficou em 22,48% em julho. 

publicidade
Inflação em alta: veja quais alimentos tiveram o maior REAJUSTE DE PREÇO em julho
Inflação em alta: veja quais alimentos tiveram o maior REAJUSTE DE PREÇO em julho. (Imagem: Montagem/FDR)

Este é um dos medidores oficiais da inflação pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o indicador, a inflação em alta refletiu no leite longa vida, que acumula reajustes de 57,42% no ano e 51,69% em 12 meses. 

Derivados do leite também foram impactados pela inflação em alta, na margem de 11,43%. É o caso do requeijão em 4,74%, a manteiga em 4,25% e o queijo em 3,22%. De acordo com o Boletim do Leite, realizado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, os aumentos no preço do leite podem ser explicados pela oferta reduzida. 

publicidade

Destacando que a inflação em alta registrou novos e ligeiros índices em julho, ficando em 0,13% contra 0,69% em junho. Esta foi a menor variação desde junho de 2020. Na época, a alta foi de, somente 0,02%

É importante explicar que a desaceleração reforça a expectativa apresentada nas projeções feitas por economistas, que é a de IPCA negativo no balanço mensal completo. Entretanto, o alívio na prévia de julho se concentrou nos combustíveis e na conta de luz. Por outro lado, os alimentos voltaram a ficar mais caros

Alimentos caros pela inflação em alta

  • Mamão: 22,48%;
  • Leite longa vida: 22,27%;
  • Pepino: 15,31%;
  • Leite e derivados: 11,43%;
  • Melancia: 10,71%;
  • Maracujá: 9,91%;
  • Banana d’água: 9,84%;
  • Pera: 8,21%;
  • Coentro: 8,20%;
  • Carvão Vegetal: 8,18%.

O grupo alimentação e bebidas subiu 1,16%. Segundo o IBGE, tanto comer fora de casa, como a alimentação domiciliar, ficaram mais caras.

A alimentação fora do domicílio teve alta de 1,27% em julho, acelerando em relação a junho (0,74%). Tanto o lanche (2,18%) quanto a refeição (0,92%) tiveram variações superiores a do mês anterior (1,10% e 0,70%, respectivamente).

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

A laranja-baía foi o item que apresentou maior redução de preço no IPCA-15 de julho, com queda de 22,16%. Em seguida, vêm o tomate (-19,42%) e a cenoura (-19,24%).

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.