Eleições 2022: Bolsonaro é acusado de fazer PEDALADA FISCAL; acompanhe

A coluna de José Paulo Kupfer para o UOL criticam as recentes e desesperadas investidas de Bolsonaro na reta final da gestão e da corrida para as eleições 2022. Uma das manobras foi a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição – PEC dos Benefícios.

publicidade
Eleições 2022: Bolsonaro é acusado de fazer PEDALADA FISCAL; acompanhe
Eleições 2022: Bolsonaro é acusado de fazer PEDALADA FISCAL; acompanhe. (Imagem: FDR)

Inicialmente, o texto foi motivado pelo aumento constante nos preços dos combustíveis, resultando na criação do Auxílio Caminhoneiro e Auxílio Taxista. Com o apoio de Bolsonaro, também foi autorizado o aumento do Auxílio Brasil de R$ 600 e do Vale Gás de R$ 120 às vésperas das eleições 2022.

A aprovação da PEC dos Benefícios gerou o decreto de estado de calamidade pública/emergência, como uma forma de burlar a legislação e autorizar manobras sociais meses antes das eleições 2022

publicidade

Em contrapartida, para prevenir o estouro de despesas na compra de parlamentares com o orçamento secreto, e os gastos públicos na tentativa de comprar votos, o Ministério da Economia tem procurado antecipar as receitas de anos futuros. 

O colunista aponta que, em meio à tentativa de mascarar as contas públicas visando transparecer o falso equilíbrio orçamentário, outros rombos são abertos para o futuro, dizimando a transparência da trajetória fiscal. 

Kupfer lembrou que o desejo do ministro da Economia, Paulo Guedes, é deixar as contas no azul até o final do ano, mas que o método utilizado não é viável e pode pressionar as cotações do dólar e os índices de inflação.

Preferência dos eleitores para as eleições 2022

A impopularidade de Bolsonaro para as eleições 2022 é intensa. Uma pesquisa realizada pela Xp/Ipespe, mostra a negatividade do governo atual entre os eleitores que o avaliam como “ruim” ou “péssima”

A avaliação negativa de Bolsonaro abrange 49% do eleitorado brasileiro, enquanto a análise positiva caracterizada com “ótimo” ou “bom” abrange somente 32% dos brasileiros aptos a votarem nas eleições 2022

A grande aposta do governo Bolsonaro para se manter no poder após as eleições 2022 está vinculada à PEC dos Benefícios. As investidas se concentram em dois públicos-alvo, a população brasileira vulnerável e os caminhoneiros

publicidade

A população em situação de vulnerabilidade sempre teve o apoio associado ao governo petista, razão pela qual Bolsonaro tem investido fortemente em políticas públicas sociais a este grupo.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Já os caminhoneiros, desde o início foram fiéis apoiadores do atual presidente, embora tenham começado a mudar de opinião no decorrer dos últimos meses. No entanto, a avaliação do atual presidente  avaliação do atual presidente é a seguinte:

  • Ótimo ou bom – 32%;
  • Ruim ou péssimo – 49%;
  • Regular – 18%.
publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.