Luz no fim do túnel: mercado financeiro acredita que AUMENTO DOS PREÇOS será MENOR até o fim do ano

O mercado diminuiu a estimativa para a inflação oficial do país, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A previsão de aumento dos preços caiu de 7,67% para 7,54% para o final de 2022. As estimativas fazem parte do boletim Focus, divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (18).

Luz no fim do túnel: mercado financeiro acredita que aumento dos preços será menor até o fim do ano
Luz no fim do túnel: mercado financeiro acredita que aumento dos preços será menor até o fim do ano (Imagem: Montagem/FDR)

Pela terceira vez consecutiva, os economistas reduziram a previsão de aumentos dos preços até o fim deste ano. Há quatro semanas, os agentes do mercado acreditavam que o IPCA encerraria este ano em 8,27%.

Apesar disso, o mercado aumentou a estimativa de inflação para 2023, de 5,09% para 5,20%. Neste caso, foi o décimo quinto aumento seguido. Já quatro semanas atrás, os economistas previam que o aumento dos preços chegaria a 4,83% no final do próximo ano.

As previsões de aumento dos preços estão acima da meta

As estimativas de aumento dos preços, tanto para 2022 quanto para 2023, estão acima do centro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para 2022, o centro da meta de inflação é de 3,5% — com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Já para 2023, o centro da meta é de 3,25%, com a mesma margem de variação.

Com relação ao teto da meta para este ano, o próprio Banco Central já admitiu que não será cumprido. Desse modo, o aumento dos preços superaria o limite de aumento de preços pelo segundo ano consecutivo.

Quando o governo estoura o teto da meta de inflação, o presidente da autoridade monetária deve divulgar uma carta pública, explicando os motivos disso.

Previsão do mercado para a taxa de juros

A taxa básica de juros, a Selic é o principal instrumento do Banco Central para controlar a inflação. Atualmente, o indicador está em 13,25% ao ano — a maior desde dezembro de 2016.

Para o final deste ano, os economistas mantiveram a previsão de que a Selic ficará em 13,75% ao ano. Já para 2023, o mercado subiu a perspectiva, de 10,50% ao ano para 10,75% ao ano.

Segundo indicações do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, a taxa de juros deve seguir alta por um tempo significativo.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Silvio SuehiroSilvio Suehiro
Silvio Suehiro possui formação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atualmente, dedica-se à produção de textos para as áreas de economia, finanças e investimentos.