Conheça a PROFISSÃO que lidera criação de VAGAS DE EMPREGO no Brasil

O setor de serviços dominou a criação de vagas de emprego no Brasil nos últimos 12 meses encerrados em maio. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apontam que a profissão de faxineiro, por anos desvalorizada, é a que está em alta no momento.

publicidade
Conheça a profissão que lidera criação de vagas de emprego no Brasil
Conheça a profissão que lidera criação de vagas de emprego no Brasil

Não só a profissão de faxineiro, como também a de auxiliar administrativo, lideram a criação de vagas de emprego no Brasil. No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em maio foram gerados 163.459 e 122.511 postos de trabalho, respectivamente. Os dados se baseiam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

Ao todo, 10 profissões que mais criaram vagas de emprego com carteira assinada foram avaliadas. Portanto, atrás dos faxineiros e auxiliares administrativos, os cargos que dominam o mercado são:

publicidade
  1. Vendedor de comércio varejista;
  2. Alimentador de linha de produção;
  3. Auxiliar de escritório;
  4. Servente de obras;
  5. Atendente de obras;
  6. Atendente de lojas e mercados;
  7. Auxiliar nos serviços de alimentação;
  8. Atendente de lanchonete e motorista de caminhão.

Mas não é só isso, a apuração também considerou o ranking das profissões com maior expansão percentual no que compete ao número de vagas. Neste sentido, foram identificadas:

  1. Auxiliar de logística;
  2. Garçom;
  3. Estoquista;
  4. Analista de negócios;
  5. Auxiliar de desenvolvimento infantil;
  6. Auxiliar nos serviços de alimentação;
  7. Camareiro de hotel;
  8. Trabalhador de confecção de calçados;
  9. Atendente de lanchonete;
  10. Atendente de lojas e mercados.

Características das principais vagas de emprego criadas

O total de faxineiros com carteira assinada no Brasil atingiu a marca de 1,79 milhão. A expansão observada foi de 10% em 12 meses, índice que supera o cenário pré-pandemia. Em fevereiro de 2020, por exemplo, havia 1,59 milhão de faxineiros formais.

A prestação de serviços é um reflexo de como o setor percorreu uma expansão notória nos últimos 12 meses. Este cenário representa a retomada da reabertura econômica e das atividades a caráter presencial

“O setor de serviços foi o último a reagir e é o que está impulsionando o mercado de trabalho. As empresas reabrindo passam a demandar mais serviços como os de faxina”, afirma Fabio Bentes, economista da CNC e autor do levantamento.

Destacando também que, apesar da queda do desemprego e do maior número de empregos com carteira assinada no país, o levantamento mostra que a criação de vagas tem sido puxada por cargos de baixa remuneração e que demandam pouca qualificação.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.