CAMINHONEIROS recusam AUXÍLIO de R$ 1 MIL e voltam a falar em GREVE

A polêmica PEC das bondades foi aprovada nesta semana. O texto motivado pela alta frequente dos combustíveis, fomenta e cria novos benefícios, como o auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros. 

publicidade
CAMINHONEIROS recusam AUXÍLIO de R$ 1 MIL e voltam a falar em GREVE
CAMINHONEIROS recusam AUXÍLIO de R$ 1 MIL e voltam a falar em GREVE. (Imagem: FDR)

O auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros visa amortizar os impactos da alta dos combustíveis para essa classe de trabalhadores, sobretudo os autônomos. Entretanto, a Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), dispensou a ajuda do governo. 

Na realidade, durante todo o processo de avaliação e aprovação do auxílio de R$ 1 mil, os caminhoneiros alegaram que a iniciativa não é o ideal para a classe e que rejeitaria a concessão do valor. Para eles, a medida mais viável seria uma atualização na política de preços da Petrobras, evitando reajustes constantes e repentinos. 

publicidade

Na oportunidade, a Abrava apelidou o texto de “PEC da Esmola”, e como contrapartida, ameaça deflagrar uma nova greve dos caminhoneiros caso nenhuma atitude decisiva seja tomada. Na quarta-feira (13), o presidente da associação, Wallace Landim, fez a seguinte declaração:

“Mil reais não resolve o problema dos caminhoneiros”. […] Para ele, a PEC das bondades é uma “tentativa clara de comprar voto. Caminhoneiro não é burro, não fizeram nada em três anos e meio de governo, e agora vem cocm uma esmola que não resolve o problema”, ponderou.

Como funcionará o auxílio de R$ 1 mil 

O auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros foi aprovado através da PEC 01/22, embora o modelo de pagamento ainda não tenha sido estruturado. De toda forma, a estimativa feita pelo Governo Federal é de que cerca de 900 mil caminhoneiros recebam a transferência de renda

O benefício será pago em cinco parcelas com duração entre agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro de 2022. Os profissionais da área que desejam recebê-lo precisarão estar cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga (RNTRC)

E não é só isso, a elegibilidade ao programa ainda requer a inscrição como Transportador Autônomo de Carga (TAC), até 31 maio de 2022. Portanto, os caminhoneiros incluídos no sistema após essa data não serão habilitados para o recebimento do auxílio de R$ 1 mil

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

O investimento do governo no Auxílio Caminhoneiro de R$ 1 mil será de R$ 5,4 bilhões. A concessão é exclusiva para transportadores autônomos, independentemente do número de veículos que possuam. Além do que, não será necessário comprovar a compra do óleo diesel no período de vigência do programa.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.