INSS altera o cálculo da aposentadoria após o fim da contribuição única

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) decidiu implementar novas mudanças no cálculo da aposentadoria. A motivação foi o fim da contribuição única, uma das regras mais vantajosas para os segurados da autarquia. 

publicidade
INSS altera o cálculo da aposentadoria após o fim da contribuição única
INSS altera o cálculo da aposentadoria após o fim da contribuição única. (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

A contribuição única do INSS foi implementada durante a Reforma da Previdência, homologada em novembro de 2019. Entretanto, a lei que rege a extinção da norma, a de número 14.331, começou a vigorar somente em maio de 2022, alterando o formato de cálculo da aposentadoria

O cálculo da aposentadoria que viabilizava a contribuição única aos segurados que não mantinham uma periodicidade junto ao INSS foi incluída originalmente nas regras da autarquia em 13 de novembro de 2019. Desde então, o contribuinte tinha a oportunidade de descartar praticamente todas as contribuições feitas no decorrer da carreira profissional em troca de uma contribuição em valor elevado

publicidade

Normalmente, essa contribuição única era feita com base na média salarial com o propósito de que este novo cálculo da aposentadoria pudesse elevar o valor do benefício. Mas esta regra tem um porém. Para efetivar a validade, era preciso ter, pelo menos, 180 contribuições ao INSS

Este é o tempo mínimo de contribuição para requerer a aposentadoria. Até então, o cálculo realizado para estabelecer o valor do benefício é feito a partir da média de contribuições previdenciárias desde julho de 1994, quando o Plano Real foi lançado.

Na situação de quem começou a contribuir antes de 1994, a Previdência Social considera somente o tempo de contribuição, e não a média dos valores pagos. A contribuição única do INSS é direcionada somente para quem já concluiu os 15 anos de contribuição até a data mencionada, e que dependia somente de uma idade mínima para se aposentar. 

INSS já havia demonstrado a intenção de acabar com a contribuição única 

O fim do cálculo da aposentadoria realizado a partir da contribuição única não é nenhuma novidade. Em outubro de 2021 o INSS publicou uma nota técnica recomendando a extinção deste modelo.

A alegação da autarquia foi a de que a concessão dos novos benefícios vai contra os princípios da manutenção do equilíbrio financeiro da Previdência Social, provocando um abuso por enriquecimento injustificado.

“Para efeito de concessão das aposentadorias, exceto aposentadoria por incapacidade permanente, que não apresentam remunerações do período básico de cálculo de julho de 1994 em diante, com apenas uma contribuição no valor máximo, para efeito de cálculo, está sendo aplicada a regra prevista na emenda constitucional 103/19”, diz a nota.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.